A falta de jeito dos EUA na batalha Rússia vs. Ucrânia / OTAN

O memorando de Budapeste de 1994 trocou armas nucleares ucranianas por segurança garantida dos EUA, Inglaterra, Alemanha, França e Rússia e eles foram enganados; Zelensky vem reivindicando isso desde dezembro.

O Normandy Format e os acordos Minsk I e II também ofereceram garantias que não foram fornecidas.

E a entrada tateada, semi-aceita, negada e finalmente rejeitada na OTAN, talvez a garantia máxima tenha desaparecido. Este é o problema central do acordo de paz para a Ucrânia: quem vai garantir isso?

A questão levanta mais suspeitas sobre os fiadores do que sobre a própria Rússia.

O mediador mais ativo e menos mencionado do conflito é a Turquia. Recep Erdogan não apenas ofereceu seu país como um lugar para negociações, mas diante das suspeitas ucranianas, ele propôs a própria Turquia e a Alemanha como garantes da segurança coletiva decorrente de um acordo. Não alcança.

Brancaleone Marinha. Acho que esse é o melhor título para definir a “coalizão de não coalizão” que o Ocidente pretende forjar.

Com tato diplomático de rinoceronte, EUA acusam Rússia de ter pedido ajuda militar à China. A porta-voz de Biden, Jen Psaki, ameaçou a China com “consequências significativas” se for esse o caso ou se fornecer ajuda que viole as sanções internacionais contra a Rússia.

Dá a impressão de que “As Sanções” estão escritas nas tábuas da Lei Mosaica e só agora as encontramos. Fogo e enxofre choverão sobre os hereges.

Numa atitude quase infantil, o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, pede à China que condene a Rússia do Conselho de Segurança da ONU, fingindo liderar 1 dos Big 5 – não, não são o Bom Humor -.

A China, com paciência educada e mais bom senso do que seus interlocutores, não disse se a Rússia pediu alguma coisa, ou se pediu alguma coisa. A China respondeu que este será um assunto para a China resolver e mais ninguém.

Mas, além disso, teve o bom senso de esclarecer o panorama por meio de seu ministro das Relações Exteriores –eles têm um que fala várias línguas (N. de la R.: alusão ao anglófono Santiago Cafiero)-, Wang Ei. Ele alertou o Ocidente que O aumento das sanções anti-russas prejudicará ainda mais a economia global -promovido pelo Ocidente- e impedirá sua restauração, causando danos a si e a outros, em particular ao homem comum.

E não é só a China que pensa assim. Japão, Turquia e Índia mantêm seus acordos energéticos com a Rússia porque sua economia local indica isso, e eles não estão em guerra.

Por outro lado, a dependência energética desses países com a Rússia é muito importante, o que os levou a aumentar os acordos e praticar sanções meramente formais.

É claro que os EUA tentarão impedir isso por causa de sua própria incompetência inercial. O Senado dos EUA pretende sancionar os bancos que intervêm em transações de energia. O problema é que essas sanções afetarão principalmente os aliados dos EUA. Com amigos assim, você não precisa de inimigos.

https://twitter.com/decifraguerra/status/1505279253553860612

https://twitter.com/AlertaNews24/status/1505336827607228417

https://twitter.com/AlertaNews24/status/1505221541029724162

——————-

Outras novidades em Urgente24:

É prioridade: outono quente, inverno mínimo e cessar-fogo

Blabla Blablabla Blabla (Alberto Fernandez e inflação)

A CSJN não acredita em Gustavo Belocopitt ou Pablo Herman

O retorno à Lua está se aproximando e a NASA forneceu detalhes

Exclusivo: Plano Semanal Hipocalórico – Dia 5

Leave a Comment

x