A temporada 2022 da F1 começa com essas polêmicas – El Financiero

Se a temporada 2021 da Fórmula 1 fechou ‘pegando fogo’ devido à dramática definição do campeonato a favor de Max Verstappenas férias de inverno não apagaram ‘o fogo’ e as controvérsias continuaram antes do início do Grande Prêmio do Bahrein, a primeira das 22 corridas da temporada.

E caso os mais de 90 dias de ‘jejum’ da mais alta categoria do automobilismo tenham feito você esquecer os escândalos da temporada anterior, aqui está um breve resumo

O homem por trás da polêmica decisão em Abu Dhabi

O australiano Michael Masi foi um dos protagonistas de diversas decisões controversas durante a temporada anterior, o que o levou a ser criticado por alguns dirigentes da equipe, principalmente por toto wolff de Mercês.


O que parece ter colocado o ‘último prego’ em sua carreira como diretor de prova foi a decisão que tomou na corrida que decidiu o título do campeonato de pilotos nos Emirados Árabes Unidos e que, aos olhos de muitos, beneficiou a atual campeão reinante.

Após o acidente de Nicholas Latifi na volta 53 e a entrada do safety car, Masi decidiu inicialmente que os retardatários não conseguiriam ultrapassar Lewis Hamilton, então líder da corrida, deixando cinco carros entre o piloto da Mercedes e Verstappen, que veio com o pneu macio.

E o resto foi história: o piloto da Red Bull ultrapassou Hamilton na última volta e foi coroado campeão. Após uma investigação sobre o Grande Prêmio de Abu Dhabi, a FIA removeu Masi de seu posto, embora tenha sido oferecido a ele para permanecer na federação. Para este 2022, Niels Wittich e Eduardo Freitas vão se alternar como diretores de prova com a ajuda de Herbie Blash como consultor sênior permanente.

Proibição de esportes na Rússia chega à F1

Outro personagem que perdeu seu lugar na F1 é o piloto russo Nikita Mazepinque chegou à Haas em 2021, apoiado por seu pai e uma grande quantia em dinheiro que ajudou a equipe americana a continuar competindo.


Na verdade, Dmitri Mazepin, o oligarca dono da empresa de fertilizantes Uralkaliesteve bastante envolvido na equipe se prestarmos atenção ao que foi mostrado na 4ª temporada de Conduzir para sobrevivera série da Netflix que trouxe a F1 de volta à atenção dos telespectadores americanos.

Nikita veio participar dos testes em Barcelona e tudo parecia indicar que ele começaria sua segunda temporada na F1… até que veio a invasão da Ucrânia.

As punições contínuas impostas à Rússia chegaram ao campo esportivo, com expulsões dos Jogos Paralímpicos de Pequim 2022 e reclassificação para a Copa do Mundo Qatar 2022, entre outras. Nikita não foi exceção, pois a Haas anunciou que seu contrato estava terminando definitivamente e que estava rompendo laços com a Uralkali, que já está exigindo a devolução do dinheiro que alocou em patrocínios para a Haas.

O veto também chegou a Sochi, sede do Grande Prêmio da Rússia e que este ano ia ver sua despedida quando a competição se mudaria para São Petersburgo a partir de 2023. Mas depois do ataque à Ucrânia e anúncios como o de Sebastian Vettel, que anunciou que não iria correr na Rússia, a organização da série anunciou o cancelamento do evento.

COVID ainda ‘assombra’ o paddock

Embora os casos de contágio tenham diminuído em várias partes do mundo, na categoria mais alta ainda há medo do que o vírus SARS-CoV-2 possa causar. De fato, o australiano Daniel Ricciardo testou positivo nos dias de teste, mas o teste mais recente deu negativo, então ele pode estar no GP do Bahrein.

O caso contrário é o do tetracampeão Vettel, da Aston Martin, que está infectado e será substituído por seu compatriota Nico Hulkenberg.

O atrito entre Verstappen e Hamilton continuará?

Enquanto isso, a maior polêmica que se arrasta desde dezembro do ano passado: a definição do campeonato e a guerra entre Lewis Hamilton e Max Verstappen.

Já no ano passado mostraram que sua agressividade não ia parar, que lhes custou confrontos e perdas de pontos, e em meio a declarações de ida e volta, todos já estão esfregando as mãos para saber até que intensidade essa rivalidade vai escalar de este fim de semana.

Na pré-temporada, o piloto que parece se sair melhor é Verstappen, já que a Red Bull terminou com o tempo de treinos mais rápido no Bahrein. Além disso, Hamilton, sete vezes campeão mundial, aceitou que por enquanto parece improvável que a Mercedes possa lutar por vitórias com o carro que tem.

Leave a Comment