Ao vivo | O mundo rural enche Madrid mostrando as suas medidas “fartas” e exigentes

Agricultores, pecuaristas, irrigantes e caçadores de toda a Espanha vão às ruas de Madri neste domingo em um evento que descrevem como “histórico” com o qual buscam reivindicar um futuro para o mundo rural com várias frentes abertas: aumento de energia custos, das matérias-primas, a seca, a guerra na Ucrânia e a greve dos transportadores em Espanha.

Uma “grande demonstração” do setor primário que é convocada pela plataforma ’20Mrural’, que reúne as organizações agrícolas Asaja, COAG, UPA, bem como a Real Federação Espanhola de Caça (RFEC), o Escritório Nacional de Caça (ONC) , à Aliança Rural, à União de Criadores do Touro de Briga (UCTL), à Federação Nacional das Comunidades de Rega de Espanha (Fenacore) e às Cooperativas Agroalimentares.

Os organizadores estimam a presença de mais de 200.000 pessoas pelas ruas de Madrid, já que chegarão mais de 1.500 ônibus de toda a Espanha, no que qualificaram de “evento histórico” para reivindicar um futuro para o campo e as atividades que o suportam.

O 20M Rural reunirá pela primeira vez sectores como a agricultura, pecuária, caça, pesca e muitos outros relacionados com o mundo rural, mas também muitos outros afectados pelas políticas das diferentes administrações regionais, governo central e instituições comunitárias.

Os organizadores destacaram o caráter apolítico desta mobilização, onde querem que os únicos protagonistas deste dia de protesto sejam agricultores, pecuaristas, caçadores e todo o mundo rural. “Em 20 de março o protagonista é o campo espanhol”, reiteraram.

Nesta manifestação, agricultores e pecuaristas exigem em seu manifesto um plano de choque do Governo diante do aumento dos custos de produção agropecuária, a aplicação da Lei da Cadeia Alimentar para garantir preços justos que cubram os custos de produção e uma Política Agrícola (PAC) e um plano estratégico nacional mais justo, que trate da perda de renda das fazendas agrícolas e pecuárias.

Eles vão reivindicar sua natureza estratégica diante do abandono que o mundo rural sofre pelo Executivo e diante de políticas que são incapazes de resolver os problemas que afetam os homens e mulheres do campo, que estão sendo forçados a abandonar seu modo de vida e seus costumes. Além disso, eles também pedirão serviços sociais e de saúde decentes para o mundo rural.

Por sua vez, os irrigantes vão exigir a revisão dos planos hidrológicos, a redução da conta de luz, mais investimentos em obras de regulação para enfrentar as secas e a modernização dos sistemas de irrigação.

Além disso, o setor da caça exigirá a retirada da Lei do Bem-Estar Animal, pelo que uma enxurrada de caçadores alaranjados pedirá este domingo o fim dos ataques do Governo, enquanto o mundo do touro levantará a voz nesta nomeação para reclamar o IVA reduzido a 10% para a venda do touro de lide como produto cultural, bem como para a defesa e promoção da criação de touros de lide e da tauromaquia como Património Cultural.

Leave a Comment