Após o novo datafolha, resta apenas uma pergunta: Lula vencerá no 1º turno? – 24/06/2022

A existência da regra: sem alterações fora da margem de erro em relação ao levantamento anterior, o novo Datafolha confirma um cenário praticamente congelado por seis meses, 100 dias antes da eleição.

A única dúvida que resta é se Lula pode ganhar um terceiro mandato no primeiro turno, como mostram todas as pesquisas atuais. Na mais recente, publicada nesta quinta-feira, o ex-presidente tem 53% dos votos válidos contra 32% de Bolsonaro.

É uma vantagem de 21 pontos nunca igualada em suas campanhas anteriores de vitórias nesta fase do campeonato, sem que seu único adversário, ainda na disputa, mostrasse qualquer sinal de reação para diminuir a diferença e a escolha para um segundo turno improvável.

Mas acredite ou não, depois que este estudo foi publicado, setores da grande imprensa ainda especulavam sobre as possibilidades da “terceira via” de reverter esses números, com a “terceira via” de Simone Tebet mostrando uma diminuição de 50% nas intenções de voto de 2% para 1% na pesquisa anterior.

Em meio a esse debate surreal na GloboNews, o correspondente Guga Chacra perdeu a paciência e criticou ao vivo seus pares na mídia corporativa que ainda estão perdendo tempo com um candidato de 1% que tem tantas chances de chegar ao segundo turno quanto o astronauta brasileiro. para entrar na lua, assim como Ciro Gomes (8%) e os outros pequenos candidatos.

A vantagem de Lula de mais de 20 pontos em votos válidos sobre Bolsonaro, tanto no primeiro quanto no improvável segundo turno, ficou em segundo plano.

O mais incrível dessa pesquisa é que apesar do desmantelamento acelerado do governo, do incêndio na Amazônia ao ataque à Petrobras, sem ter conseguido conter a inflação e a fome que assola o país, o índice de grande e bom ainda é alcançado pelo governo: 26% .

See also  Saiba quem é o quarto finalista do Concurso Tá Combinado 2022 | Está acordado

Ou seja, quase um em cada três brasileiros ainda defende integralmente Bolsonaro e sua política assassina de destruição do país e não se contentará com uma possível vitória do ex-presidente. É o terreno fértil que o atual presidente sonha para manchar o resultado eleitoral.

“Bolsonaro só perde quando há fraude”, dizem nas redes sociais simpatizantes da seita bolsonarista, alimentados pelos ataques do capitão à justiça eleitoral e às urnas eletrônicas, que aumentam a cada nova pesquisa divulgada.

Redução do ICM nos combustíveis, oferta de um “Pix-Trucker”, aumento do valor do vale gasolina e do Auxílio Brasil, promovendo motociclistas todos os dias, participando de todas as Marchas para Jesus fora de temporada, com distribuição generosa do orçamento secreto aos não reembolsáveis ​​Base: Era o que restava do arsenal de munições de Bolsonaro, que agora disparava em todas as direções numa tentativa desesperada de fugir do perigo.

Isso o ajuda a manter seu eleitorado fiel, mas assusta aqueles que poderiam trazer novos votos da maioria da população, que não vê a hora de arrancar o bode da presidência no Palácio do Planalto: 47% pensam mal ou péssimo depois do governo e 55% dizem que não vão votar em Bolsonaro de jeito nenhum (35% rejeitam Lula).

Dado que são necessários 50% dos votos válidos e mais um para vencer, como Bolsonaro espera ser reeleito com esses números?

Nesse ponto, apenas um terremoto ou força extraterrestre poderá transferir votos de Lula para Bolsonaro, única maneira de reverter a derrota humilhante anunciada nas leis atuais.

Com a candidatura carbonizada do ex-juiz Sergio Moro disputando “em casa” a vaga de deputado federal, o Paraná ganha foro privilegiado e a candidatura de Simone Tebet, última esperança de uma “terceira via”, encolhe 1 % todas as ilusões de uma alternativa à polarização entre Lula e Bolsonaro desapareceram.

See also  Vídeo. Bianca Andrade come minhocas ao vivo em No Limite: A Eliminação

Fim da história: agora você tem que escolher um ou outro. Não se trata nem de discutir os méritos ou deficiências dos candidatos que permanecem na disputa. Trata-se de sobrevivência democrática e humanitária.

Para evitar a tragédia da reeleição, eu votaria até em mim mesmo.

A vida continua.

Leave a Comment

x