Apresentador da GloboNews corrige supostas observações racistas e constrange colega ao vivo (veja vídeo)

O moderador Marcelo Cosme, do programa Em Pauta, da GloboNews, criou uma situação extremamente constrangedora ao vivo ao repreender a jornalista e colega de quarto Carolina Cimenti após um discurso supostamente racista.

Analisando a situação do recém-empossado ministro francês Damien Abad, acusado de estupro em 2012, Carolina usou uma palavra que foi incluída na lista de termos classificados como “racistas” e disse que “estamos lidando com campanhas ligadas a criado com o objetivo de “denegrir” a imagem das pessoas.

Imediatamente e sem mais delongas, Marcelo Cosme interveio:

“Nós cometemos alguns deslizes às vezes, certo, e temos que nos lembrar disso para que não aconteça. Você usou uma palavra que não usamos mais – denegrir. Já que temos essa liberdade, eu queria chamar sua atenção para que você possa se desculpar e não comentar mais”.

Outros colegas que participavam da transmissão permaneceram imóveis em frente à cena e visivelmente desconfortáveis, enquanto Cimenti não conseguia esconder seu desconforto.

Então peça desculpas:

“Eu disse e pensei sobre isso, desculpe. Essa palavra não é mais usada, na verdade eu estava dizendo que é como se as alegações tivessem “diminuído” ou “manchado” a imagem desse homem. Usei uma palavra claramente racista, peço desculpas por isso.”

Na visão da lacrosfera esquerda, a palavra “denegrir” seria um aceno para negros ou pessoas negras. Então dizer que algo ou alguém está sendo vilipendiado é o mesmo que dizer que ser negro ou ter a pele negra é uma coisa ruim. Um tremendo absurdo típico de quem não conhece nossa língua e suas origens.

E uma simples busca pelo termo em um dicionário online é suficiente para determinar que a palavra tem origem no latim, uma antiga língua nativa.

See also  Alemanha x Itália: onde assistir ao jogo da Liga das Nações ao vivo, programação, escalação e muito mais

“Denigrare”, que significa manchar a reputação de alguém ou privá-lo de crédito.

Termo surgiu muito antes da época da escravidão negra africana ou das lutas contra o racismo.

Além de assistir ao vídeo do momento constrangedor na GloboNews, vale também assistir a um trecho da entrevista com a professora de português Cíntia Chagas, conhecida por desmontar as falácias e narrativas da esquerda, principalmente quando são usadas para atacar nossa língua.

Cíntia explica o termo “denegrir” e se abre sobre a “idiotice” da chamada “cartilha antirracista”.

“Primeiro eles controlam o que dizemos, depois o que pensamos e finalmente como agimos”

Confira nos vídeos:

  • Outro professor socialista "pira" na sala de aula e é denunciadoMais um professor socialista “dispara” em sala de aula e é denunciado

A eleição está chegando… É hora de você mostrar todo o seu amor pelo Brasil!

Já garantiu sua camiseta, bandeira e faixa?

Tudo isso e muito mais você encontra no Shopping Conservador…

A Maior Loja Patriota do Brasil!!

Clique no link abaixo:

https://www.shoppingconservador.com.br/

O Brasil precisa de você!

Se desejar, doe qualquer valor para o Jornal da Cidade Online via PIX (chave: pix@jornaldacidadeonline.com.br ou 16.434.831/0001-01).

Assine o JCO:

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

Leave a Comment

x