Bloqueios e interdições continuam em 30 localidades neste domingo, diz PRF – Notícias

As estradas do país retomam neste domingo (20) com 19 interdições parciais e 11 interdições totais. São caminhoneiros e outros manifestantes que não aceitaram os resultados das eleições presidenciais divulgados há 21 dias.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), 1.227 manifestações foram revertidas até esta manhã. Na madrugada, segundo a PRF, ocorreram 32 manifestações: 22 interdições e 10 bloqueios.


Os 11 bloqueios informados pela PRF estão no Mato Grosso, nas cidades de Sorriso (3), Lucas do Rio Verde (2), Matupá, Campo Novo do Parecis, Campos de Júlio, Nova Mutum, Água Boa e Sinop.


Em Dourados (MT), na sexta-feira (18), manifestantes queimaram pneus e um carro que tentava atravessar o bloqueio pegou fogo. No mesmo dia, ocorreram manifestações em duas rodovias federais no entorno do Distrito Federal. Protestos foram registrados em Cristalina (GO) e Formosa (GO), mas não houve bloqueios ou interdições.


Na última quinta-feira (17), o ministro Alexandre de Moraes, do Tribunal de Justiça Federal (STF), determinou o bloqueio das contas bancárias de 43 empresários suspeitos de financiar ações contra o resultado das eleições presidenciais. A apuração vai contra uma lista de empresários identificados pela Polícia Federal (PF) e Polícia Rodoviária Federal (PRF) como envolvidos nos atos contra o resultado registrados no último dia 30 de outubro.


Decisão de Moraes, no último sábado (12), para a qual o R7 teve acesso, afirma ainda que a Polícia Federal colhe depoimentos de todos os representantes naturais e legais das empresas em até dez dias e até toma as providências necessárias.

No dia 3 de novembro, três dias após o início dos bloqueios, Moraes ordenou à Polícia Federal que entregasse ao STF as carteiras de identidade dos líderes dos movimentos de bloqueio das estradas e dos proprietários dos caminhões usados ​​para bloquear as estradas.


A decisão do magistrado corresponde a um pedido da Confederação Nacional do Transporte (CNT), que também pedia a apreensão dos caminhões e “no caso de identificação de pessoas jurídicas praticantes desses atos, a interdição e lacre de suas garagens a ser determinada “.

Além dos protestos nas rodovias, diversos grupos em defesa do presidente Jair Bolsonaro (PL) se concentram em frente a quartéis do Exército em vários estados.

Leave a Comment