Bolsonaro diz que “Alexandre de Moraes está se comportando como líder de um partido de esquerda e oposição”

O presidente voltou a atacar o primeiro-ministro Alexandre de Moraes. (Foto: TSE/Divulgação)

O presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar o ministro Alexandre de Moraes do Tribunal de Justiça Federal. Em entrevista ao Correio de Manhã nesta quarta-feira (18), mas não divulgada até esta sexta-feira (20), o presidente do conselho diz que o magistrado está se comportando como líder de um partido de esquerda e oposição e também repete críticas a outros dois Membros do Tribunal, Luís Roberto Barroso e Edson Fachin.

“Temos três ministros dando merda no presidente, além do Brasil: Fachin, Barroso e Alexandre de Moraes. Este último é o mais ativo e se comporta como líder de um partido de esquerda e oposição o tempo todo”, disse o presidente na entrevista. “O poder mais forte na república agora é o supremo.”

Nesta semana, Bolsonaro pediu a retirada de Moraes das investigações sobre atos antidemocráticos e notícias falsas, e apresentou queixa-crime contra o ministro no Departamento de Estado por “abuso de poder”. O pedido foi indeferido um dia depois, na quarta-feira, pelo ministro Dias Toffoli. Ontem, durante a cerimônia de posse dos ministros do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Bolsonaro saudou Moraes, mas se recusou a aplaudir o ministro.

Na entrevista, Bolsonaro também criticou o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). “Não vou negar que apoiei (para a eleição como Comandante da Casa), não esperava que ele fosse tão partidário como tem sido ultimamente. Eu não quero atrito com ele, quero um grande viés”, disse ele. “Ele diz que protege o Supremo. Não é nosso dever proteger o outro poder, mas tratá-lo com dignidade e exceção, como bem diz nossa Constituição.”

See also  Partida do Flamengo ao vivo hoje no Brasileirão onde assistir e ganhar tempo (14/5)

sem aplausos

Na mesma semana em que pediu o afastamento do ministro Alexandre de Moraes das investigações sobre atos pró-democracia e fake news e recorreu ao Ministério Público com denúncia criminal contra o ministro, o presidente Jair Bolsonaro (PL) recebeu o juiz na tarde desta quinta-feira. justo (19). O gesto improvável aconteceu durante a cerimônia de posse ministerial no Tribunal Superior Eleitoral (TST). O que poderia ser interpretado como um sinal do armistício não sobreviveu ao fim do evento. Moraes foi aplaudido por muito tempo pela plateia de juízes e advogados, enquanto Bolsonaro permaneceu imóvel.

A sessão foi transmitida ao vivo pela Justiça do Trabalho. Bolsonaro se aproximou de Moraes, que estava na primeira fila ao lado da tribuna dos juízes. O presidente fez um gesto com a mão, mandando Moraes se levantar. O Ministro do STF levantou-se e trocou uma breve saudação com o Presidente.

O gesto de boas-vindas de Bolsonaro foi apenas temporário. Ao final da cerimônia, quando o Mestre de Cerimônias anunciou a presença do Ministro Moraes no evento, o público cumprimentou o magistrado com longos aplausos. Bolsonaro permaneceu impassível sem aplaudir.

O gesto de Bolsonaro ocorre em meio a preocupações dos aliados do presidente sobre o impacto de um discurso contra o Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) em eleitores que ainda têm dúvidas e não são bolsonaristas convictos. Moraes será o próximo presidente da Justiça Eleitoral.