Caminhões incendiados em golpe bloqueiam rodovia em MT

Dois caminhões foram incendiados nesta manhã durante atos de golpe na BR-163, próximo a Sinop, no interior de Mato Grosso. Vídeos recebidos de UOL Notícias registrou as chamas na Autobahn. Uma testemunha disse por áudio que os motoristas foram entregues por homens armados e encapuzados que atearam fogo nos veículos.

É a segunda ação armada registrada na região em pouco mais de 24 horas. Na noite deste sábado (19), um grupo de dez pessoas foi flagrado gravando vídeos e incendiando caminhões na base da concessionária que administra a mesma rodovia entre os municípios de Nova Mutum e Lucas do Rio Verde.

Em meio a uma escalada de violência nas paralisações que ressurgiram desde a última sexta-feira (18), as imagens do incêndio viralizaram nas redes sociais nesta manhã. Os caminhões foram incendiados nos dois sentidos da BR-163.

Procurada, a PRF (Polícia Rodoviária Federal) ainda não se pronunciou sobre o caso. Os atos acontecem desde 30 de outubro, quando Luiz Inácio Lula da Silva (PT) derrotou o presidente Jair Bolsonaro (PL) no segundo turno. Manifestantes contestam os resultados das eleições e pedem intervenção militar.

Os responsáveis ​​pelo ataque portavam armas de grosso calibre, segundo uma testemunha que relatou em áudio o que viu. “Os caras encapuzados armados com uma arma de 40 pontas. Eles atiraram, tiraram o motorista e colocaram fogo nos dois caminhões”.

Outra pessoa que também afirma ter testemunhado a ação fez uma declaração semelhante. “Eles mandaram os meninos [motoristas dos caminhões] desça, bata uma arma na porta. Então eles disseram que iriam bloquear o BR. Vá para Negócios e Fazendas. Você vai incendiar os caminhões que está transportando [produtos para pegar a estrada]🇧🇷

Como foi o ataque a concessionária

A PRF diz ver uma ligação entre o ataque de sábado à noite e os bloqueios de estradas. “Isso não é mais um problema único e exclusivo da Polícia Rodoviária Federal. Isso já está entrando em guerra civil e há necessidade urgente de pareceres de instâncias superiores”, disse Felipe Dias Mesquita, delegado da PRF, no áudio obtido na reportagem. .

Em nota, a Polícia Civil de Mato Grosso informou que esteve no local para obter laudos periciais e apurar as circunstâncias do atentado. Segundo a empresa, os autores do ataque ainda não foram identificados.

Outras imagens mostraram o momento em que chegaram ao local. Depois de atirar e jogar bombas de coquetel molotovos homens armados entraram na base e renderam os funcionários.

“Eles estragaram tudo”. Cabines de pedágio foram arrombadas durante o ataque. Os funcionários fugiram do local do crime. O pedágio da cidade de Sorriso foi evacuado e ficou sem pedágio. O vídeo capturado por um membro da equipe mostra o fogo e a devastação na base. “Eles quebraram tudo. Gasolina aqui em tudo. Fogo… vai explodir. Vai explodir. Vamos sair correndo”, diz ele em conversa com um colega.

“Eles estavam todos armados.” Um funcionário registra um relatório da ação, elaborado por um colega que não aparece nas imagens. “Havia mais de dez deles. Eles estavam todos armados. Achei que fosse um foguete. Os caras me disseram para ir: ‘Fora, fora, corre, corre’. Em seguida, o autor do vídeo mostra um carro com buracos de bala no para-brisa.

MPF pede intervenção federal

O MPF (Ministério Público Federal) enviou ontem recomendações ao governo de Mato Grosso. No documento, os procuradores pedem ao governador em exercício Otaviano Pivetta que busque ajuda da Força Nacional de Segurança Pública “para manter a ordem pública e a segurança de pessoas e bens nas rodovias federais”.

O documento aponta ainda que o MPF orientou o governo a determinar que a Polícia Militar mantenha seu efetivo em apoio à PRF e, se necessário, a “ocupação do território anterior aos bloqueios e interdições com estabelecimento de cinturão de segurança para manutenção .” de trânsito seguro nos pontos críticos das rodovias federais”.

Governo do MT contra “vandalismo”

Em nota, o governo de Mato Grosso informou que as forças de segurança foram acionadas para atender “atos de vandalismo” na BR-163. Segundo o governo, tropas de choque da Polícia Militar trabalharão com a PRF para desobstruir as ruas e agências de inteligência trabalharão em conjunto para “identificar e prender os responsáveis ​​por atos criminosos”.

A nota terminava afirmando que “é condenável a atitude deste grupo de vândalos, de cerca de 10 elementos armados, e que todos os efectivos estão a ser mobilizados para identificar e prender os responsáveis ​​por este acto criminoso”, e que o Governo “mostra o seu respeito afirmou”. a livre manifestação de direitos, desde que exercida no respeito da lei e do sagrado direito de ir e vir de todos”.

Ataque ocorreu em área suspeita de financiamento de atos

A região é a mesma onde se concentram agroindústrias suspeitas de financiar os crimes. Das 43 contas bloqueadas pela decisão do STF (Tribunal Federal), 24 são de Sorriso (MT).

Entre eles está Atílio Elias Rovaris, empresário agrícola e piloto amador de rally, responsável por uma doação de R$ 500 mil para a campanha de Jair Bolsonaro (PL). Ele foi contatado, mas se recusou a comentar.

Coletivamente, os suspeitos de financiar os atos golpistas também foram responsáveis ​​pelo pagamento de R$ 1,3 milhão pela disputa eleitoral.

Leave a Comment