Com plano de expansão agressivo, Sipolatti anuncia mudança de liderança

Sipolati
Filial Sipolatti na Grande Vitória. Crédito da foto: Sipolatti/Divulgação

A Sipolatti, uma das maiores e mais tradicionais varejistas do Espírito Santo, anunciou uma importante mudança de mercado, talvez a mais relevante em seus 62 anos de história. Claudio Sipolatti, um dos cinco sócios, deixa o comando e dá lugar a Fábio Régis, gerente da loja. Pela primeira vez, a família deixa a gestão operacional da rede. A transição começou em 13 de junho e durará seis meses.

“É um movimento que vem sendo estudado e amadurecido entre os parceiros desde os anos 2000, observando que alguns de nossos concorrentes foram desaparecendo. Queremos implantar uma governança corporativa forte, aumentar os investimentos em inovação, enfim, fortalecer uma estrutura que nos apoie na continuidade”, explicou Claudio.

“Também nos certificamos de selecionar um CEO que entenda nosso DNA, são mais de 60 anos de história. É qualidade, afinal é um movimento importante que busca consistência e entende nossa essência.”

Fábio Régis, novo Diretor Geral da Sipolatti
Fábio Régis, novo Diretor Geral da Sipolatti. Crédito: Divulgação / Sipolatti

Todos os cinco sócios farão parte do Conselho de Administração, que também contará com dois assessores externos disponíveis para assessoramento, mas sem direito a voto. “Também vamos montar uma governança familiar, é um primeiro passo, mas é importante sair do negócio. Diante de um cenário tão desafiador, temos que olhar para a estratégia da empresa”, disse Claudio Sipolatti.

A meta da Sipolatti é atingir R$ 1 bilhão em vendas até o final do próximo ano. É quase o dobro do resultado de hoje. A empresa tem 40 lojas no Espírito Santo e sete na Bahia. A rede física está em expansão, mas o desafio do novo CEO é conquistar o mundo digital. “Claro que vamos construir mais lojas e chegar a outros estados, mas o grande desafio é o e-commerce, temos que conectar o físico com o digital. Muito planejamento, estratégia e trabalho.”

See also  O juiz está pedindo ao governo dos EUA orientação sobre se deve buscar a pena de morte para o atirador de Buffalo

Antes de adquirir a Sipolatti, Fábio Régis atuou em diversos setores: varejo, tecnologia, indústria, telefonia (em 2005 foi executivo sênior da Vivo no estado) e também como consultor. “Ele tem muita experiência, mas a família também tem um grande desafio. Um CEO de uma empresa familiar dura, em média, nove meses. Temos uma curva de aprendizado pela frente”, concluiu Claudio.


Notou informações incorretas no conteúdo de A Gazeta? Ajude-nos a corrigi-lo o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente para a redação de A Gazeta.

Leave a Comment

x