Com retorno de Tanque Silva ao gol, Aldosivi venceu Patronato em Mar del Plata

Aldosivi soube se defender quando não tinha a bola e aproveitou todas as chances que gerou para derrotar o Patronato de Paraná por 3 a 1 hoje, em Mar del Plata, em partida chave na luta pela permanência que abriu a sétima rodada do a Copa de la Liga Profissional de Futebol.

Os gols do “Tiburón” foram convertidos pelo uruguaio Martín Cauteruccio (7m PT de pênalti e 21m PT) e por seu compatriota Santiago Silva (12m.ST), que voltou a marcar depois de mais de dois anos; o desconto foi de Lucas Barrios de pênalti (32m PT).

A partida foi disputada no estádio José María Minella, com arbitragem de Jorge Baliño, e mostrou a versão mais sólida do time de Mar del Plata desde a chegada de Martín Palermo ao clube.

Com este resultado, Aldosivi alcançou 10 pontos e se colocou momentaneamente no pelotão líder da Zona 2, enquanto Patronato não conseguiu aproveitar o ímpeto da vitória contra o Platense na última data no início do ciclo de Facundo Sava, e somar apenas 4 unidades.

A equipe de Entre Ríos começou melhor a partida, perturbando a equipe do porto no início e conseguiu empurrá-los contra o gol em alguns momentos.

Apesar de Patronato ter dominado, o “Tiburón” conseguiu abrir a vantagem aos 7m, depois de uma pegada em Cauteruccio dentro da área que o árbitro marcou de pênalti e o próprio artilheiro foi o responsável pela conversão, com um chute cruzado de direita.

A equipe de Sava continuou a ter iniciativa e o zagueiro Juan Cruz Guasone esteve perto de empatar aos 10, com um cabeceamento claro dentro da área após escanteio, mas Aldosivi mais uma vez mostrou sua força e, aos 21, Cauteruccio conectou Um cabeceamento sem marcação de um cruzamento da direita por Edwin Mosquera para fazer 2-0.

A equipe de Mar del Plata chegou perto de ampliar ainda mais a vantagem, com uma jogada preparada em que Brian Martínez fisgou dentro da área e finalizou logo acima com o pé esquerdo aos 25.

Patronato se desorganizou após o segundo gol e ficou exposto ao contra-ataque, mas voltou ao jogo aos 31, quando o árbitro cobrou pênalti por suposto impacto de bola na mão de Leandro Maciel, que na verdade o acertou no gol. pescoço: Barrios assumiu o comando e fez 2-1.

Com o ímpeto do desconto, o visitante tentou ficar no terreno rival no complemento, mas sem conseguir o controle que havia mostrado em alguns momentos no primeiro tempo, e após 10 minutos ficou com um homem a menos, por conta do expulsão de Juan Cruz Guasone por advertência dupla.

Na cobrança de falta da falta que levou à expulsão, Silva fez 3 a 1 com uma mão direita que passou pelo meio da barreira e passou pela trave mais distante de Matías Mansilla.

O ex-artilheiro do Boca, Banfield e Vélez marcou assim seu primeiro gol desde sua chegada ao clube de Mar del Plata e o primeiro em mais de dois anos, depois de cumprir uma sanção por doping. Após a partida, ele expressou sua “alegria” e garantiu que estava “se preparando há muito tempo” para voltar.

Aldosivi acomodou o resultado e o homem a mais, aproveitou a velocidade do colombiano Edwin Mosquera na direita para criar perigo, e mais uma vez contou com a solidez de seu goleiro José Devecchi, que impediu um chute forte de Nicolás Castro aos 29m, resistiu a um ataque de Jonathan Herrera na linha de 37m e recebeu todos os cruzamentos que Patronato enviou por cima da área.

Na próxima data, Aldosivi visita o Colón, enquanto Patronato será local contra o Unión de Santa Fe.

Leave a Comment