Como criar e manter um jardim vertical? Ver dicas – Página inicial

decorar ambientesTrazer vibração e torná-los confortáveis ​​pode ser uma tarefa mais fácil ou mais difícil, dependendo do espaço em que você deseja fazer alterações. Em ambientes menores, por exemplo, ter plantas pode ser complicado, mas os jardins verticais se tornaram uma opção.

Eles formam um estrutura especial que utilizam uma parede como suporte e podem ter diferentes categorias de vegetação. Geralmente, são feitos de materiais leves para permitir um ajuste suave e além de facilitar a rega e adubação.

Hoje, os jardins verticais vêm em quatro versões: natural, preservado, artificial e musgo. De qualquer forma, segundo a arquiteta e urbanista Fernanda Rocha*, é preciso entender as características de cada um para entender como proceder com a montagem.

Como criar um jardim vertical?

Como criar um jardim vertical requer estudo e na maioria das vezes a orientação de um profissional na área. “Existem vários modos, especialmente hoje em dia, com muitas estruturas projetadas para esse fim. O que pode eventualmente transformá-los em mais complexos e caro”, explica Fernanda Rocha.

Legenda:
Para a montagem de um jardim vertical, o acompanhamento de um decorador ou arquiteto pode ser imprescindível.

Foto:
Shutterstock

É claro que entre as dicas para montar um jardim vertical está procurar um profissional que saiba analisar o ambiente em que ele estará localizado. Também é importante visitar uma loja especializada para escolher qualquer material que ele irá compor.

“Cada caso exige uma solução específica que exige profissionais qualificados e capacitados para o atendimento”, lembra Fernanda.

irrigação

Assim como na hora da montagem, o processo de definição de como irrigar um jardim vertical requer estudo. Isso porque depende de outros fatores, como material escolhidoas plantas do jardim e até a sala em que se encontra.

See also  Horóscopo para terça-feira 05 julho 2022

“No caso de jardins no solo, isso pode até ser feito manualmente, já que é onde estão as raízes, que são responsáveis ​​pela absorção de água nas plantas. Outras condições de acesso a esse suprimento exigem o uso de sistemas de irrigação que importam solução muito diferentes em termos de fiscalização e condições de enquadramento”, explica o arquiteto.

Legenda:
O jardim vertical pode estar presente em ambientes internos e externos

Foto:
Shutterstock

No entanto, também é possível optar por outras soluções, o que pode até significar um alívio. De acordo com o profissional, você pode escolher o suporte da planta que está disponível em flexível e com blocos de plástico individualmente ou em conjunto. Além do concreto pré-moldado e do sistema de distribuição e controle da irrigação, que em alguns casos pode fornecer nutrientes para as plantas.

Quais são as melhores plantas para um jardim vertical?

A seleção de plantas para o jardim também requer muitos cuidados. “Não é possível generalizar sobre uma única solução, pois cada situação requer um estudo específico da condições climáticas: quantidade de sol/sombra, vento, salinidade, se o jardim está em laje, em vaso ou no chão”, destaca Fernanda.

Desta forma, os exemplos podem ser visualizados. Especialistas mostram que no caso de jardins verticais no solo, é bem possível recorrer a tipos de escalada adequados ao local de intervenção.

“No Teatro José de Alencar, Roberto Burle Marx utiliza uma única espécie: a Thumbergia grandiflora, que hoje se estende por quatro andares. Mas já vi uma situação aqui em Fortaleza que chegou a seis andares muito rápido e com pouquíssima manutenção”, completa o arquiteto.

Além disso, outras espécies também são conhecidas neste tipo de jardim. no ambiente ensolaradoEspécies como espargos de penas (Espargos densiflorus), a barba de cobra (Ophiopogon jaburan), brilho (Pilea microphylla), o colar de pérolas (Senecio rowleyanus), a clorofita (Chlorophytum comosum), a flor canhota (scaevola aemula) e a flor de coral (Russelia equisetiformis) estão em alta demanda.

See also  CASINO: Aprenda a fazer apostas online com BetWinner

Ja entrou ambientes bastante fechados ou parcialmente sombreadoso antúrio (Anthurium andraeanum), o asplênio (Asplenium nidus), o aloé vera (Philodendron martianum), a barba (Ophiopogon jaburan), bromélia (Guzmania sp), a vara de peixe (Nematanthus wettsteinii) e chifres de veado (Platycerium bifurcatum) ocorrem com mais frequência.

jardim vertical barato

Com tantos fatores envolvidos na montagem de um jardim vertical, muitas vezes surge a dúvida de como montar um dentro do orçamento, pois manter um espaço com várias plantas pode ser caro.

Pelo baixo custo, Fernanda analisa o uso de trepadeiras É até considerado “imbatível”. Nesse caso, tanto a implantação quanto a manutenção podem ser benéficas.

Segundo o especialista, quanto mais completo o sistema, maior a necessidade de manutenção e maior o esforço envolvido.

“E não estou falando apenas de irrigação, mas também da qualidade do solo, que está se esgotando nutriente com o tempo, pois a planta se alimenta dali e também engrossa e dificulta a sobrevivência da espécie”, reitera.

Jardim vertical com paletes

Os paletes também podem ser uma opção mais barata, pois são leves e fáceis de manusear. No entanto, o cuidado será capaz de alcançar este jardim em termos de peso e clima.

Além disso, telas metálicas, que podem ter alguma forma de proteção, telas plásticas e até telas de proteção são outras opções de suporte.

jardim vertical artificial

Aqui Fernanda é bem clara: ela não recomenda plantas artificiais para esse procedimento. “Segundo Burle Max, jardim ‘é sinônimo de adequação do ambiente ecológico às necessidades naturais da civilização’ e é claro que não é assim. Então, não vejo vantagem em ter/fazer algo desse tipo ,” ele explica. .

O lançador ideal existe?

O arremessador ideal é aquele com maior flutuabilidade. Por isso, é necessário analisar quais propriedades são importantes para garantir a saúde das plantas e a melhoria do ambiente em que estão localizadas.

See also  Recuperação de conta do Instagram: saiba como

*Fernanda Rocha é Arquiteta e Urbanista, Diretora do Portas Abertas, Experiências e Aprendizagem Cultural. Também é professora e pesquisadora da Universidade de Fortaleza (Unifor).



Leave a Comment

x