Como deixar a lancheira infantil mais saudável

É importante pensar com mais cuidado sobre os alimentos para que as crianças tenham energia e vontade de acompanhar a carga diária de aprendizado

Preparar lanches saudáveis ​​nem sempre é fácil, principalmente quando se trata de crianças. Isso porque eles preferem principalmente comer junk food como biscoitos recheados, salgadinhos fritos e sucos industriais, e os adultos podem cair na armadilha da falsa praticidade. Por isso, é importante promover uma boa alimentação e fazer com que os pequenos também entendam essa importância.

Pensar mais em nutrição é importante para que as crianças tenham energia e disposição para acompanhar o estresse diário do aprendizado, “pois uma alimentação saudável contribui para o desenvolvimento de crianças e adolescentes, afetando o aprendizado, a concentração e os hábitos alimentares”, disse a nutricionista Rafaela Xavier.

“Comer bem na infância promove boa saúde, crescimento, desenvolvimento e prevenção de problemas de saúde como anemia e obesidade em crianças, além de ajudar a evitar possíveis conversas emocionais que possam surgir no futuro”, continuou.

Rafaela Xavier é nutricionista (Foto: Nilzete Franco/FolhaBV)

A nutricionista destaca ainda a importância de dar às crianças a oportunidade de se envolverem na confecção da lancheira. “Preparar receitas com as crianças, ensinar a fazer conservas de frutas, explicar os benefícios de cada alimento que vai na lancheira… Tudo isso estimula o interesse por produtos mais saudáveis ​​e dá autonomia às crianças”, explica.

Aqui estão algumas dicas que podem ajudar na hora de preparar lanches para crianças:

1 – A lancheira deve sempre conter uma proteína (como iogurte ou queijo), uma fruta e um carboidrato. A bebida deve ser evitada, pois afeta o processo digestivo. Mas se for necessário, opte pela água mineral ou de coco.

2 – Suco em caixa ou garrafa não deve ser considerado como índice de consumo de frutas – eles devem estar presentes em espécie ou no preparo de itens como bolos ou misturados com iogurte por exemplo. Escolha sempre frutas frescas e de preferência da época é a melhor opção, pois são mais suculentas e saborosas.

See also  Como baratear o combustível a partir de 2023

3 – Os carboidratos devem fazer parte dos suplementos. Alimentos integrais são uma ótima opção para fornecer a energia que você precisa da maneira mais saudável. Biscoitos caseiros, bolos, panquecas e pão de queijo são sempre uma opção melhor do que os comprados em lojas, especialmente se forem feitos com farinha de trigo integral. Essas receitas geralmente usam menos açúcar e sem conservantes, mas duram uma semana se armazenadas adequadamente e podem ser polvilhadas na rotina da dieta. Caso não seja possível o preparo, a escolha dos produtos prontos deve levar em consideração o rótulo e a lista de ingredientes, que permitem a comparação da quantidade e qualidade dos nutrientes. Dica: Já existem aplicativos para celulares que vão te ajudar a tomar a melhor decisão.

4 – As proteínas são importantes para complementar a qualidade da refeição entre as aulas. Opte pelo iogurte natural e combine-o com fruta fresca, compota ou muesli. Quando se trata de queijo, o foco é sempre no “mais branco”, que possui menor teor de gordura em sua composição. E seu consumo pode ser associado, por exemplo, ao uso de pão ou outros acompanhamentos integrais na montagem de sanduíches junto com frango desfiado e complementado com cenoura ralada, tomate e folhas verdes como alface.

5 – Legumes e oleaginosas fornecem muitos nutrientes e também contribuem para a sensação de saciedade do organismo, reduzindo a fome entre as refeições. Tê-los no lanche sempre que possível pode ser uma ótima forma de incentivar as crianças a consumirem esses produtos.

Leave a Comment

x