Como faço um novo pedido?

Salário Maternidade INSS: Como fazer um novo pedido? O subsídio de maternidade está disponível para empregados, incluindo trabalhadores domésticos, trabalhadores por conta própria, pessoas com seguro especial, contribuintes individuais (autônomos, empresários e equiparados) e segurados por opção. Em caso de adoção, o benefício pode ser estendido ao segurado do sexo masculino.

A ausência do segurado ao trabalho ou atividade é condição para o recebimento do benefício, sob pena de suspensão do pagamento, uma vez que a finalidade do benefício é a integração com o filho.

1. Deficiência

O período de carência, ou seja, o número mínimo de contribuições exigidas para ter direito aos benefícios, é de apenas uma contribuição antes do início da gravidez para uma segunda empregada, uma empregada solteira e uma empregada doméstica.

Essa contribuição única é utilizada para determinar a situação e a filiação do segurado ao sistema previdenciário, e não o período de carência, uma vez que a lei prevê o pagamento do benefício para esses segurados independentemente do período de carência.

Para os autônomos, o período de contribuição para o recebimento do benefício é de 10 meses.

São considerados indivíduos que fazem sua própria contribuição:

  • Autônomo (autônomo, empresária, empresário, etc.)
  • Segurado opcional (desempregado) – deve ter pelo menos 10 contribuições mensais.
  • Indivíduos com seguro especial – também podem solicitar o benefício gratuitamente, desde que comprovem estar trabalhando há pelo menos dez meses.

Período de contribuição para o direito ao subsídio de maternidade

Status do segurado tempo de contribuição
Contribuinte pessoa física (autônomo, empresário, empresário, MEI) 10 contribuições mensais
Opcional (desempregado) 10 contribuições mensais
seguro especial 10 meses de trabalho
empregado compensação total
trabalhador único compensação total
governanta compensação total

2. Quem deixou de pagar o INSS

See also  Confira a previsão do horóscopo para esta segunda-feira (08)

Na hipótese de o contribuinte deixar de efetuar pagamentos previdenciários e perder a condição de segurado, metade dos prazos previstos na tabela acima deve ser contado a partir da data da nova inscrição previdenciária para ter direito ao abono de família.

Se o segurado mantiver a condição de segurado mesmo após o término do pagamento das contribuições – o que pode acontecer entre três e 36 meses sem o pagamento das contribuições – ele continua tendo direito ao benefício.

Após o recebimento do benefício maternidade, a segurada eletiva mantém seus direitos previdenciários, mesmo sem pagar contribuições, por 12 meses (geralmente seis meses).

3. Contrato Temporário

No caso de contrato de trabalho a termo certo que expirou durante o período acordado entre as partes, o empregador é responsável pelo pagamento do benefício se a empregada estiver grávida no momento da rescisão.

4. Adição do nível de benefício

O valor do benefício é calculado de forma diferenciada para empregadas domésticas, trabalhadoras domésticas e autônomos. Se ela iniciou a gravidez em uma dessas condições e foi segurada em outra situação que resulte em um benefício menor, o segurado pode solicitar o aumento do valor menor. Isso já foi estabelecido na Portaria nº 264, de 28 de maio de 2013.

5. Quando se inscrever e por quanto tempo

O benefício é pago por 120 dias e pode ser solicitado até 28 dias antes do nascimento, independentemente de ser nove meses ou antes.

6. Adoção e Custódia

No caso de adoção ou guarda judicial, a duração é de 120 dias. O benefício é pago diretamente pela Previdência Social e deve ser reclamado até o último dia de vencimento do benefício, ou seja, 120 dias.

O segurado tem direito ao subsídio de maternidade independentemente de a mãe biológica ter recebido o mesmo subsídio no momento do nascimento do filho.

See also  Horóscopo Diário (8/8): Veja o que as estrelas lhe dizem

7. Falecimento do Segurado

Em caso de falecimento do segurado ou segurado elegível (inclusive em caso de adoção ou guarda), o benefício será pago por todo o período ou pelo tempo restante, conforme o caso, ao cônjuge ou sobrevivente companheiro que tenha a condição de segurado, salvo em caso de morte ou abandono do filho.

O benefício é pago diretamente pela Previdência Social no período entre a data do falecimento e o último dia do término do salário-maternidade original e é calculado sobre:

  • remuneração integral para empregados e autônomos;
  • o último salário de contribuição para os trabalhadores domésticos;
  • Média dos últimos 12 salários de contribuição, calculados em um período não superior a 15 meses, para contribuintes individuais, voluntários e desempregados;
  • o valor do salário mínimo, para segurado especial.

No caso de exercício simultâneo de atividade remunerada ou de atividade simultânea como segurado de contribuinte individual ou doméstico, a beneficiária tem direito ao subsídio de maternidade por cada emprego ou atividade nas seguintes condições:

  1. se não houver obrigação de contribuir como segurado contribuinte individual ou trabalhador doméstico, o benefício só é devido como empregado no valor da remuneração integral;
  2. se o segurado for empregado ou trabalhador autônomo cuja remuneração seja inferior ao teto do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e ao mesmo tempo exerça atividade que o una como contribuinte único, essas duas outras condições são observado:
  • Direito ao subsídio de maternidade como trabalhador assalariado ou independente com base na remuneração integral;
  • O valor do benefício como contribuinte único é calculado com base na média das últimas 12 contribuições apuradas nos últimos 15 meses e pode ser inferior a um salário mínimo, considerando que a soma de todos os benefícios acumulados não ultrapasse o teto do INSS.
See also  Orçamento familiar: saiba como geri-lo de forma eficaz - CASA SAPO Notícias

9. Estabilidade no Trabalho

A Constituição Federal proíbe a interrupção arbitrária ou abusiva da trabalhadora grávida desde a data da confirmação da gravidez até cinco meses após o parto.

A empresa deve pagar o benefício e compensar o valor pago com a previdência social.

O período de referência do subsídio de maternidade é utilizado para calcular o tempo de serviço e o tempo de espera para receber outras prestações.

10. Responsabilidade Corporativa

A empresa é responsável pelo pagamento do benefício maternidade à empregada gestante. A empresa reembolsa os valores pagos quando efetua o pagamento das contribuições recolhidas na folha de pagamento.

A empresa deve manter os recibos de pagamento e as respectivas certidões por 10 anos para inspeção pela Administração da Previdência Social.

11. Suspensão de Benefícios

O benefício concedido não pode ser suspenso a menos que o segurado comece a receber auxílio-doença, também por acidente de trabalho, mas pode optar pela opção mais barata.

12. Valor do Benefício

O valor do benefício nunca deve ser inferior ao salário mínimo. Além disso, é devido o valor fixo anual pro rata, que é pago juntamente com a última parcela do serviço.

  • Para o segurado empregado ou autônomo, consiste em uma renda mensal igual ao salário integral;
  • Para a empregada é o último salário;
  • Para os segurados especiais, é a média de sua contribuição anual (1/12);
  • Para os demais segurados: média dos últimos 12 prêmios mensais.

Se o benefício foi concedido indevidamente, o prazo para reclamar a diferença é de cinco anos.

valor do subsídio de maternidade

Status do segurado valor do benefício
Autônomo (autônomo, empresário, empresário) 1/12 das últimas 12 contribuições calculadas dos últimos 15 meses
Opcional (desempregado) 1/12 das últimas 12 contribuições calculadas dos últimos 15 meses
seguro especial 1/12 da anuidade
empregado Valor da remuneração mensal
trabalhador único Valor da remuneração mensal
governanta Valor da remuneração mensal
MEI salário mínimo

13. Situações Irregulares

A Segurança Social investiga situações duvidosas que possam levantar suspeitas de irregularidade, tais como: B. Contratos de trabalho em que a trabalhadora se inscreveu apenas para assegurar o recebimento do subsídio de maternidade e contrato de trabalhador doméstico cujo salário contributivo foi aumentado com a intenção de receber um subsídio de maternidade superior.

Rua Amador Bueno, 774 | 14010-070 | centro | Ribeirão Preto/SP –
Cortesia da empresa de educação previdenciária Aposenfácil.
www.aposentfacil.com.br






Leave a Comment

x