Confira a visão geral do Paysandu e concorrentes

O Paysandu já sabe quem vai assumir o quadrilátero brasileiro da Série C, etapa final para o acesso à segunda divisão nacional. No final da primeira fase, o vice-campeão Boogeyman enfrenta Figueirense (3º), ABC (6º) e Vitória (7º). Para muitos, a chave mais difícil se formou entre os dois. Mas como foi o desempenho dos adversários do Pará ao longo das 19 rodadas?

Continue lendo:

– Engenheiro do Paysandu planeja fase 2 e levanta preocupação

– Paysandu deve reabrir o Estádio do Mangueirao

Figueirense:

Sob o comando do técnico Júnior Rocha, Figueira terminou a primeira fase na terceira colocação, com os mesmos 33 pontos do Paysandu, mas perdeu em número de vitórias, saldo de gols e gols marcados, os três primeiros desempates. Furacão do Estreito teve oito vitórias, nove empates e apenas duas derrotas com um desempenho de 57,9%.

Como mandante, o melhor desempenho da competição. São 10 jogos, sete vitórias, dois empates e uma derrota em que marcou 18 gols e sofreu 10 gols. desempenho de 76,7%. Como visitante um desempenho completamente diferente. Em nove jogos, uma vitória, sete empates e uma derrota, ele está em 12º lugar com uma taxa de vitórias de 37%. A equipe alvinegra marcou nove gols e arrecadou dez.

No confronto direto com o Paysandu, em Curuzu, hoje, empatou em 1 a 1 na Portuguesa, com o gol do Santa Catarina após escorregão do zagueiro Bruno Leonardo. Durante o jogo, ele só defendeu, marcando um gol e começando a tentar contra-ataques enquanto os bicolores avançavam em busca da vitória.

ABC:

A equipe do técnico Fernando Machiori somou 31 pontos, oito vitórias, sete empates e quatro derrotas. Elefante da Frasqueira marcou 22 gols e sofreu 16 para uma taxa de sucesso de 54,4%. No duelo contra o Boogeyman o Natal-RN empatou em 1 a 1, com o bicolor sendo melhor e não vencendo porque Henan, agora no Alvinegro, perdeu um gol em uma comparação direta com o goleiro.

Invicto em jogos no Frasqueirão, terminou em sexto lugar com seis vitórias e três empates em nove jogos. Foram 12 idas às redes adversárias e apenas três golos sofridos, com uma vantagem de 77,8%. Como convidado, o desempenho foi de apenas 33,3% e ficou na 11ª colocação com duas vitórias, quatro empates e quatro derrotas, marcando 10 gols e sofrendo 13.

Vitória:

Os homens do técnico João Burse passaram toda a primeira fase fora do G-8 e só avançaram para a fase final após uma combinação de resultados. Uma campanha crescente viu oito vitórias, cinco empates e seis derrotas. O time derrotou o Paysandu por 1 a 0 no Barradão depois que o Bicolor, que vinha muito atrás, saiu errado.

Com 29 pontos, o Leão da Barra marcou 21 gols e sofreu 15. Foi o 13º melhor desempenho como mandante, onde registrou cinco vitórias, um empate e quatro derrotas com 53,3% de aproveitamento. Como convidado foi o quarto melhor desempenho com três vitórias, quatro empates e duas derrotas, marcando oito gols e sofrendo sete derrotas.

E qual foi a atuação do Boogeyman?

Vice-campeão com 33 pontos, segundo melhor atacante com 31 gols, nove vitórias, seis empates e quatro derrotas, foi Lobo. O desempenho do Alviceleste foi de 57,9%, empatado com o líder Mirassol e o terceiro Figueirense. O Paysandu não venceu nenhum rival que está em sua arena. Como já mencionado, houve dois empates e uma derrota.

Os bicolores tiveram o melhor uso como mandatário. O bicho-papão ainda não havia perdido na Série C do Brasileiro até ser derrotado por Floresta no jogo final. Com o revés, foi o quarto melhor jogador, registrando seis vitórias, três empates e uma derrota, marcando 19 gols e sofrendo apenas sete.

Como visitante, uma regularidade. Foram nove jogos, três vitórias, três empates e três derrotas com 12 gols marcados e 10 sofridos. Tem a melhor consistência das quatro e é por isso que a Fiel Bicolor acredita ainda mais na abordagem. Agora a equipe de Márcio Fernandes tem que colocar tudo em campo e fazer jus à tradição do uniforme da Albiceleste.

Leave a Comment