Copa Libertadores: Universidad Católica de Quito cai para The Strongest e terá que se contentar em jogar na América do Sul | Futebol | Esportes

Com tanto salvador do uruguaio Rodrigo Amaral, o The Strongest avançou para a fase de grupos da Copa Libertadores de 2022 ao vencer a Universidad Católica de Quito por 2 a 1 em La Paz, na segunda mão da terceira fase do torneio continental.

Enrique Triverio abriu o placar para os locais aos 2 minutos e aos 7 Ismael Díaz empatou para a Católica em partida disputada no estádio Hernando Siles, em La Paz. O talentoso Rodrigo Amaral deu a vitória ao Tigre de Achumani aos 83 minutos.

A série foi 2 a 1 a favor do The Strongest, pois na primeira partida havia empatado sem gols na capital equatoriana. O Universidad Católica vai disputar a fase de grupos da Copa Sul-Americana.

O jogo começou para o The Strongest com um gol no vestiário marcado por Enrique Triverio depois de conectar um rebote na área equatoriana após um centro da direita.

O objetivo do local foi um estímulo para a visita elevar seu jogo com base na velocidade. O jogo ganhou intensidade. Tanto que, aos sete minutos, o panamenho Díaz aproveitou a falta de concentração da defesa boliviana para marcar a igualdade.

O jogo ia e voltava e ambas as equipes começaram a chegar à cerca rival com uma sensação permanente de perigo. Antes dos 20 minutos, os dois artilheiros voltaram a ter oportunidades de aumentar o placar.

Os equatorianos foram mais dóceis na gestão dos circuitos de futebol, o que dava maior profundidade ao seu jogo, principalmente quando os atacantes firmavam parcerias. Em contrapartida, os aurinegros apostavam mais no desempenho das suas individualidades como Henry Vaca, que não brilhou esta noite.

Com o passar dos minutos, os equatorianos perderam a precisão, deixando os locais restabelecerem um domínio modesto e recorrendo a chutes de longa distância.

A bola afastou-se das balizas e o jogo foi centralizado no meio-campo. Aos 40 minutos, o Triverio voltou a ter outra opção de gol, oportunamente evocada pelo goleiro José Cárdenas.

A segunda parte repetiu os conceitos de intensidade e equilíbrio entre as duas equipas, embora com a vontade de evitar a definição da marca de grande penalidade.

Os camaradas mostraram sua experiência nas artes da defesa e conseguiram encaixotar os moradores que pareciam sem ideias. Com o relógio contra, The Strongest insistiu nos chutes de longa distância.

Aos poucos, os equatorianos foram perdendo a lucidez para conseguir violar a cerca de Guillermo Vizcarra.

Ainda que de forma desordenada, o The Strongest buscou a vitória e quando o jogo entrou na reta final, Amaral acertou um golpe, conseguindo o gol comemorado aos 83 minutos que deu a classificação ao popular time de La Paz.

O mais forte vs. U. Católica (Q) – Minuto a minuto

(D)

Leave a Comment