Deputado dispara arma real em sessão de votação da Assembleia Legislativa do MS

Uma sessão parlamentar no estado de Mato Grosso do Sul terminou na última terça-feira (17) de forma polêmica. O deputado João Henrique Catan (PL-MS) foi criticado por colegas no plenário ao encerrar sua votação disparando uma pistola em um campo de tiro durante uma sessão online.

A votação refere-se a um projeto de lei sobre tiro esportivo no estado de Mato Grosso do Sul. Segundo o MP, os tiroteios foram um “aviso contra o comunismo”.

“Este projeto é um alerta contra o comunismo e a mão leve que atacou o país. Então, uma saraivada de tiros, sim”, disse ele, enquanto conectava seus fones de ouvido e tirava uma foto com um martelo e uma foice posicionados alguns metros à sua frente.

O projeto é de importância estadual e reconhece o risco da atividade de tiro esportivo que faz parte de unidades esportivas legitimamente estabelecidas com o objetivo de contribuir com os interessados ​​em desapropriar as armas de fogo. Foi aprovado por 16 fotos a favor e três contra. Agora vai passar pela aprovação do governo do estado.

Confira as gravações:

desconforto entre colegas

A atitude de Catan encontrou pouco respeito entre os demais parlamentares. Imediatamente suas falas e atitudes foram questionadas durante a sessão. Paula Corrêa (PSDB-MS), presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, afirmou: “Isso é um exagero. Não pode acontecer”.

O deputado do PT-MS Pedro Kemp foi crítico e enfático. “Não é teatro. Da próxima vez que você quiser se apresentar, pendure uma melancia no pescoço. Temos questões mais importantes do que debates sobre armas, questões como fome, miséria, desemprego, violência contra a mulher, LGBTfobia”, conclui. .

See also  Bolsonaro ataca 'mentiras sobre a Amazônia' ao lado de Elon Musk

violação da decência

Na sessão ordinária desta quarta-feira (18), os deputados Amarildo Cruz e Pedro Kemp, ambos petistas, lamentaram o comportamento do colega João Henrique (PL) e convocaram a Mesa da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS) • Determinação de violação do decoro parlamentar.

“Entendo que no limite da democracia, do bom senso e da natureza do nosso papel, é vital que preservemos o debate e o direito de oposição. A atitude do deputado João Henrique, ao expressar sua voz descarregando uma arma no alvo e dizendo que isso era para alertar o comunismo, nos causa indignação. Tudo para debate, nada para violência. Essa atitude é lamentável, condenável”, reiterou Amarildo.

Kemp pediu à Divisão de Assuntos Internos da Câmara das Leis que investigasse a conduta de seu colega de acordo com o artigo 367 do Regimento. “Não podemos banalizar o Parlamento, a liturgia da nossa posição foi quebrada e a população desconsiderada”, sublinhou.

João Henrique toma a palavra para agradecer aos eleitores a aprovação do projeto e reitera que está armado.

“A constituição federal estabelece a competência para legislar no esporte, o que demonstrei em reunião remota, como já fizeram muitos parlamentares de outros segmentos envolvidos. Tenho uma arma e agora, aos 34 anos, nunca me fez atacar ninguém, homem ou mulher”, disse João Henrique.

Leave a Comment

x