[En vivo] Ucrânia acusa Rússia de matar idosos com bombas em Lugansk | notícias hoje

Uma idosa ferida fica em frente a uma ambulância em uma área residencial após um bombardeio em Kiev.

Uma idosa ferida fica em frente a uma ambulância em uma área residencial após um bombardeio em Kiev.

Foto: Agência AFP

A Ucrânia chega neste domingo no 25º dia da invasão russa de seu território. O governo de Kiev acusou a Rússia de continuar a cometer crimes de guerra bombardeando abrigos civis e matando idosos. Segundo o Parlamento ucraniano, 115 crianças foram mortas e mais de 140 ficaram feridas.

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky insistiu em negociações com seu colega russo, Vladimir Putin. “Se essas tentativas falharem, isso significaria que esta é uma Terceira Guerra Mundial”, adverte o presidente ucraniano.

Acompanhe aqui minuto a minuto do que acontece na Ucrânia.

📄📄📄 Antes de começarmos, um pouco de contexto sobre o que aconteceu no dia anterior:

  • O Mar de Azov, um território chave no conflito ucraniano, ficou sob controle russo nas últimas horas, anunciou Moscou. Esse avanço das tropas russas foi essencial para que a Rússia consolidasse seu poder no sul da Ucrânia.
  • O Papa Francisco fez uma visita surpresa a um grupo de crianças que fugiram da Ucrânia e agora estão no Hospital Pediátrico Bambino Gesù, administrado pelo Vaticano, em Roma. Alguns dos menores foram feridos pelo bombardeio russo.
  • O governo polonês propôs que a União Europeia implementasse uma proibição total do comércio com a Rússia. O primeiro-ministro do país, Mateusz Morawiecki, disse que “cortar totalmente o comércio da Rússia forçaria Moscou a considerar se seria melhor parar essa guerra cruel”.
  • A Rússia anunciou no sábado que usou armas hipersônicas em uma ofensiva intensificada contra a Ucrânia, onde milhares de pessoas estão presas em cidades sitiadas devastadas por bombardeios.
  • Três milhões de pessoas deixaram a Ucrânia e seis milhões estão deslocadas dentro do país, segundo as Nações Unidas.

09h00: Ucrânia acusa Rússia de matar idosos com bombas em Lugansk

O ombudsman ucraniano acusou as tropas russas de atirar em dezenas de idosos na região de Luhansk em 11 de março.

“Hoje ficou conhecido outro terrível crime contra a humanidade cometido pelas forças de ocupação racistas – o tiroteio de 56 idosos na região de Lugansk. Os sobreviventes, 15 pessoas, foram sequestrados pelos ocupantes e levados para o território ocupado em Svatove para o internato geriátrico regional”, disse a ouvidora, Ludmila Denisova, por meio de um post no Telegram.

As autoridades ucranianas não conseguiram chegar ao local da tragédia para enterrar os idosos mortos. Denisova pediu ao Tribunal Penal Internacional “que leve esse fato em consideração na investigação de crimes de guerra e crimes contra a humanidade cometidos por líderes políticos e militares russos”.

“Os criminosos imprudentes devem assumir total responsabilidade pelas atrocidades na Ucrânia!”, concluiu Denisova.

📄 Recomendamos a você: A lupa em Zelensky, o ator que se tornou presidente

👀🌎📄 Você já ouviu falar das últimas notícias do mundo? Convidamos você a vê-los em El Espectador.

Receba alertas do Google Notícias

Leave a Comment