Entenda as diferenças e como fazer parte do novo programa

Auxílio Brasil X Bolsa Família: entenda as diferenças e como fazer parte do novo programa A partir deste mês, os beneficiários do Bolsa Família serão atendidos pelo Auxílio Brasil – a versão revisada (e ainda com algumas incertezas) do framework criado em 2003 e deletado esta semana.

Confira as diferenças entre Bolsa Família e Auxílio Brasil

Familiarize-se com as diferenças – e semelhanças – entre os dois programas abaixo.

quem recebe

O Auxílio Brasil atenderá inicialmente ao mesmo público do Bolsa Família. Em outubro, 14,6 milhões de famílias receberam o benefício. Governo promete chegar a 17 milhões até o final do ano.

Ambos os benefícios destinam-se a famílias que vivem em extrema pobreza e pobreza – neste último caso apenas se tiverem grávidas ou pessoas com idade inferior a 21 anos. No entanto, o decreto que regia o Auxílio Brasil atualizou os valores para se adequar a essas situações:

  • famílias em extrema pobreza: Pessoas com renda por pessoa de até R$ 100 por mês (anteriormente o valor era de R$ 89)
  • familias na pobreza: com renda por pessoa entre R$ 100,01 e R$ 200 (máximo anterior era R$ 178)

valor do benefício

O governo revisou o valor médio do benefício pago em 17,84% para R$ 217,18.

  • O benefício básicopagos a famílias em extrema pobreza, de R$ 89 no Bolsa Família a R$ 100 no Auxílio Brasil
  • no taxas variáveiscom valor de R$ 41, aumentar para R$ 49
  • O Benefício variável para jovens vai de R$ 48 para R$ 57

O governo também promete pagar uma sobretaxa no Auxílio Brasil para levar o serviço a pelo menos R$ 400. No entanto, este ‘extra’ foi reservado para dezembro e está sujeito à aprovação prévia da PEC. No entanto, só será pago até o final de 2022 – a partir de 2023, se não houver outra fonte de financiamento disponível, o valor recairá no benefício básico.

Como registrar

O cadastramento do Auxílio Brasil é feito da mesma forma que o do Bolsa Família: por meio do cadastro unificado operado por prefeituras e governos estaduais

“Benefícios adicionais

Auxílio Brasil chama-se “núcleo básico‘ as mesmas vantagens do Bolsa Família:

  1. Realização da Primeira Infância: para famílias com crianças menores de 3 anos. A prestação deve ser paga por filho nessa faixa etária e está limitada a cinco prestações por família.
  2. Subsídio de Reunião Familiar: para famílias com gestantes ou pessoas de 3 a 21 anos – o Bolsa Família atualmente limita o benefício a jovens de até 17 anos. O governo diz que o objetivo é incentivar esse grupo adicional a permanecer na escola para completar pelo menos um nível de escolaridade formal. O limite também será de cinco benefícios por família.
  3. Benefícios da superação da pobreza extrema: Esse benefício entra em jogo se, após o cálculo das “linhas” anteriores, a renda mensal per capita da família ainda estiver abaixo da linha de extrema pobreza. Nesse caso, segundo o governo, não há limite para o número de membros da família.

Outros seis benefícios também são pagos na base atual do Bolsa Família:

  • Auxílio esportivo escolar: é voltado para alunos de 12 a 17 anos que se destacam nos jogos escolares brasileiros e já são membros de famílias favorecidas do Auxílio Brasil. A bolsa será paga em 12 parcelas mensais ao aluno e em parcela única à família do aluno, informa a Secretaria de Cidadania.
  • Bolsa de Iniciação Científica Júnior: para alunos que se saem bem em concursos acadêmicos e científicos e são beneficiários do Auxílio Brasil. O valor é repassado em 12 parcelas mensais. Não existe um número máximo de beneficiários por agregado familiar.
  • Ajuda Cívica para Crianças: De acordo com a Secretaria de Cidadania, é dirigido ao responsável por família com filho de zero a 48 meses que tenha fonte de renda, mas não consiga vaga em creches públicas ou privadas da rede contratual. . O valor é pago até a criança completar 48 meses, estando ainda regulamentado o limite por família nuclear.
  • Assistência à integração produtiva rural: Pago em até 36 meses para agricultores familiares cadastrados no Cadastro Único. No primeiro ano, após três meses de carência, o pagamento ficará condicionado à doação de alimentos para famílias em situação de vulnerabilidade atendidas pela Rede de Educação e Assistência Social. Os municípios devem assinar um termo de filiação com a Secretaria de Cidadania.
  • Assistência à Inclusão Produtiva Urbana: quem está na folha de pagamento do programa Auxílio Brasil e tem vínculo empregatício formal receberá o benefício. A elegibilidade é limitada a um subsídio por família.
  • Compensação transitória: para famílias que estavam na folha de pagamento do Bolsa Família e perderam parte do valor recebido na mudança para o Auxílio Brasil. Ele será concedido durante a fase de implantação do novo programa e será mantido até que o valor que a família receba ultrapasse o do Bolsa Família ou até que deixem de atender aos critérios de elegibilidade. Fonte: G1






Leave a Comment