Espanha e Marrocos encerram conflito diplomático sobre o Saara Ocidental

Espanha e Marrocos encerram conflito diplomático sobre o Saara Ocidental

O ministro marroquino das Relações Exteriores, Nasser Bourita, fala com o novo enviado da ONU para o disputado Saara Ocidental, Staffan de Mistura – Ministério das Relações Exteriores do Marrocos/AFP

O governo espanhol anunciou nesta sexta-feira (18) uma “nova etapa” em suas “relações com Marrocos” após um ano de crise diplomática pelo disputado território do Saara Ocidental.

O anúncio surge após a divulgação de um comunicado da família real marroquina, que cita uma mensagem do primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez, na qual qualifica o plano de Marrocos para a “autonomia” no Sara como “a base mais séria, realista e credível” para resolver a disputa do conflito”.

“Hoje iniciamos uma nova fase em nossas relações com o Marrocos, baseada no respeito mútuo, respeito aos acordos, falta de ação unilateral, além de transparência e comunicação constante”, escreveu o governo espanhol em comunicado.

“Esta nova fase será desenvolvida num roteiro claro e ambicioso, conforme consta nos comunicados do governo marroquino. Tudo isso para garantir a estabilidade, a soberania, a integridade territorial e a prosperidade de nossos dois países”, acrescentou.

Marrocos saudou na sexta-feira os “compromissos construtivos” da Espanha com o Saara Ocidental depois de receber a carta de Sánchez levantando o assunto no centro de uma crise diplomática entre os dois países.

A situação no Saara Ocidental, uma ex-colônia espanhola considerada um “território autônomo” pelas Nações Unidas, coloca o Marrocos e a Frente Polisario, apoiada pela Argélia, há décadas. Até agora, todas as tentativas de resolver o conflito falharam.

Marrocos controla mais de dois terços do território e propôs um plano de autonomia sob sua soberania. Por sua vez, os separatistas estão exigindo um referendo organizado pela ONU sobre a autodeterminação, previsto no cessar-fogo de 1991 que nunca se concretizou.

A carta do líder espanhol pretendia abrir caminho para uma reconciliação entre os dois países, cujas relações diplomáticas estão paralisadas há quase um ano depois que a Espanha hospitalizou a chegada do líder da linha de frente da Polisario, Brahim Ghali, inimigo jurado de Rabat.

A crise diplomática levou à entrada irregular de milhares de imigrantes marroquinos no enclave espanhol de Ceuta, no norte de Marrocos, em maio.

Embora as tensões tenham diminuído desde então, elas ainda não terminaram. O embaixador marroquino em Madrid, convocado para consultas no mesmo mês, ainda não regressou a Espanha.



Saber mais

+ Karina Bacchi revela uso de drogas e suruba em festas com diretores da Globo

+ Versão alemã: Esposa de funcionário que agrediu morador de rua diz “vi a imagem de Deus”

Corpo de modelo russa a quem Putin chamou de “psicopata” é encontrado em mala

+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comia carne. Confira o resultado

+ O que acontece no cérebro quando morremos? Os cientistas já têm uma resposta

+ A “pedra da morte” do Japão quebra após quase mil anos

+ Veja quais carros foram roubados com mais frequência em SP

+ Omicron: sintoma inesperado de infecção em crianças preocupa equipes médicas

+ Vendedores do Mercadão de SP ameaçam clientes com acertos de frutas

+ O truque de espremer limões está viralizando nas redes sociais

+ Expedição identifica lula gigante responsável pelo naufrágio de 2011
+ Autoridades dos EUA alertam: nunca lave carne de frango crua




Leave a Comment