Ex-líder do PL gasta R$ 1,2 milhão em duas impressoras de fachada – 14/05/2022

O deputado Wellington Roberto (PL-PB), líder do partido do presidente Jair Bolsonaro na Câmara até fevereiro, recebeu da Câmara dos Deputados R$ 1,2 milhão para ressarcir o custo da contratação de duas impressoras de fachada. Ele justificou dizendo que as despesas de autopromoção serviram ao seu trabalho no Congresso. O valor é proveniente da cota parlamentar, que se destina a cobrir as despesas dos parlamentares no exercício de seu mandato.

As faturas que o MP apresentou à Câmara com o pedido de ressarcimento mostram que os pagamentos às duas gráficas foram feitos em dinheiro. Em um deles, Wellington Roberto gastou R$ 933,1 mil no mandato – o valor é 72% do R$ 1,2 milhão que gastou divulgando seu trabalho parlamentar. A outra gráfica pagou R$ 358,3 mil nesse período. O deputado é o único da Câmara que utiliza os serviços das duas empresas.

Ambos informam nas notas fiscais que possuem o mesmo endereço, um prédio na região central de Brasília. No entanto, a reportagem encontrou um escritório no local compartilhado por outras empresas, e os funcionários disseram desconhecer as atividades da Ellite e da Eco Serviços Gráficos. A única pista para um deles é uma placa na porta do coworking. Os telefones de atendimento especificados nos documentos fiscais também não funcionam.

GUARNIÇÃO, ENFEITE, ADORNO

A empresa e o proprietário da Ellite são procurados por bancos e tribunais com mandados de penhora não cumpridos. Desde 2016, o mais tardar, os bancos tentam recuperar empréstimos não pagos da impressora. No ano passado, uma das ações movidas pelo Banco de Brasília foi suspensa porque a Justiça não encontrou bens para penhorar.

Segundo a reportagem, o proprietário do Eco, Rodrigo Fontinelle, deu versões conflitantes do suposto serviço prestado a Wellington Roberto.

See also  Terracap está realizando licitações com 111 opções de imóveis em todo o DF

A princípio ele disse que não servia aos deputados e pediu para ver as contas.

Explicou então que o endereço seria o de um escritório e não o do local de fabricação. No entanto, ele se recusou a dizer onde são fabricados os materiais e outros serviços de Wellington Roberto. O dono da Eco também não comentou as contas que lhe foram mostradas pelo aplicativo de mensagens. Outro membro da gráfica, a irmã de Fontinelle, foi contatado, mas não quis comentar.

Wellington Roberto, homem de confiança do presidente do PL, Valdemar Costa Neto, é considerado um dos líderes do Centrão. Durante o governo Bolsonaro, ele conseguiu colocar sua esposa, Deborah Roberto, como diretora de saúde ambiental da Fundação Nacional de Saúde. Também promoveu a nomeação do Diretor do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Garigham Amarante Pinto.

ESTÁGIOS

De acordo com as notas fiscais, os serviços variavam de R$ 25.000 a R$ 53.000. Os documentos apresentados pelo MP à Câmara mostram que as gráficas imprimiam circulares de quatro páginas em papel brilhante. De acordo com os registros, mais de 100.000 unidades foram encomendadas por mês.

De acordo com o regulamento da Câmara, cada deputado tem direito a uma quota mensal para as despesas associadas ao exercício do mandato, tais como alimentação, transporte, segurança, contratação de assessores e bilhetes de entrada. Para a Paraíba o valor mensal é de R$ 42.032 e pode ser acumulado no ano.

como se viu EstaoDesde o início do mandato, os parlamentares já gastaram R$ 179 milhões na divulgação de seus mandatos. Nos dois primeiros meses deste ano eleitoral foram R$ 10,7 milhões. O valor supera os gastos no mesmo período de 2021. No ano eleitoral, a maioria dos deputados aumentou os gastos com a promoção de suas atividades, e também incentivou a divulgação de postagens nas redes sociais.

See also  Confira onde ver o eclipse lunar ao vivo

Wellington Roberto é quem mais utiliza a cota parlamentar. Quando questionado sobre os níveis de gastos em abril, ele disse que tinha um perfil municipalista e que seus eleitores gostam de prestação de contas por meio de materiais impressos. “Faço informações impressas e uma série de ações para realizar nosso trabalho. O cidadão gosta de ver, ler e receber um folheto. Por isso documento”, disse na época.

QUE Estao voltou para encontrar o deputado para resolver problemas com as duas impressoras. Foi enviado um e-mail ao escritório com dúvidas sobre a paralisação dos serviços em Brasília para envio do material à Paraíba, o motivo da escolha das empresas Eco e Ellite e também o motivo do pagamento à vista. Não houve resposta.

A informação é do jornal. O estado de São Paulo.

Leave a Comment

x