“Faça-o prestar contas de suas ações”

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse que o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, que foi preso hoje pela Polícia Federal por suspeita de adulteração do MEC (Ministério da Educação), deve ser “responsável por seus atos”.

“Se tem presídio, é PF, é sinal de que a PF está agindo. Faça-o responder por suas ações. Peço a Deus que não haja problema, mas se houver problema, a PF age, investiga, é sinal de que não estou interferindo na PF porque obviamente vai se espalhar para mim”, disse Bolsonaro nesta manhã. em entrevista à Rádio Itatiaia.

Além de Ribeiro, o pastor Gilmar Silva dos Santos também foi preso. Em março, áudio obtido pela Folha revelou que o governo federal priorizou a liberação de recursos para as prefeituras indicadas pelos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura Correia, que não têm cargos oficiais no MEC, mas têm atuado como lobistas de pasta.

“Até onde sei, é sobre esse assunto que ele teria uma conversa informal com algumas pessoas em quem confia. Houve uma denúncia de que ele foi ao prefeito, ao povo dele, negociar, liberar recursos, isso e aquilo”, disse. .

Na gravação, Milton Ribeiro diz que isso é uma resposta a um pedido de Jair Bolsonaro. Após a divulgação do áudio, o prefeito do município de Luis Domingues (MA), Gilberto Braga (PSDB), disse que o pastor Arilton Moura solicitou R$ 15 mil adiantados para registrar as demandas da cidade, além de um quilo de ouro.

Após a divulgação do tom, Ribeiro foi pressionado a deixar o cargo, o que irritou Bolsonaro na época. Em uma transmissão ao vivo em março, o presidente chegou a dizer que “incendiaria todo o rosto” pelo então ministro.

See also  Ativista documenta tiro da PM contra moradores da Vila Cruzeiro, no Rio

“Milton, uma coisa rara de se falar aqui, coloquei fogo na cara pelo Milton. Meu rosto inteiro em chamas por Milton”, disse ele. Bolsonaro também classificou a pressão sobre Milton Ribeiro para deixar o cargo – o que aconteceu em 28 de março – como “covardia” e disse que via a situação como reflexo da falta de corrupção em seu governo.

“Por que não há corrupção no meu governo? Porque é assim que agimos. Estamos sempre um passo à frente. Ninguém pode pegar alguém e dizer: ‘Ah, você se desvia’. Tem que haver provas, hey, se não ação contra nós”, disse na época.

Na entrevista concedida hoje a Itatiaia, o presidente da República disse que sua responsabilidade era “retirar as investigações e cooperar com elas”. “Tenho 23 ministros, cem secretários, mais de 20.000 ordens. Se alguém fizer algo errado, eles vão me culpar?”

Operação

A Polícia Federal está cumprindo mandados de busca e apreensão nos endereços de Ribeiro e dos pastores Arilton Moura e Gilmar Santos. A ação foi batizada de Acesso Pago e analisa a prática do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) de “comercializar influência e corrupção para liberar recursos públicos”.

A PF identificou indícios de crimes na liberação de recursos do Fundo com base em documentos, depoimentos e relatório da CGU (Controladoria Geral da União) – há três semanas apontou novo documento da CGU em edital do FNDE e preço inflacionado.

Leave a Comment

x