Festival Goyaz traz seis espetáculos ao Teatro Goiânia

AApós quatro anos de paralisação, os três dias de programação não dão tempo para a retomada do Festival Goyaz, um dos mais tradicionais eventos de música instrumental do país. A 9ª edição traz seis espetáculos ao Teatro Goiânia, começando na noite de sexta-feira (24) e seguindo até domingo (26). A entrada é gratuita, mas depende da capacidade do teatro – portanto, os ingressos para cada espetáculo podem ser retirados diariamente a partir das 15h na bilheteria do local.

O músico, compositor, arranjador e produtor musical Bororó abre os trabalhos e na primeira noite apresenta o concerto Cidade Luz, que forma o Quarteto Bororó junto com os músicos Felipe Viegas, Ricardo de Pina e Rozinaldo Miranda. Natural de Goiânia e com um currículo extenso, Dimerval Felipe da Silva se firmou nacionalmente como contrabaixista, instrumento que toca desde os 13 anos. Fora do Brasil já se apresentou em países como Alemanha, Argentina, Bélgica, Cuba, Portugal e no Festival de Montreaux, na Suíça.

Leia também:

– Jazz Weekend promove shows e discotecas em Goiânia

– Quem Prospera Sempre Alcança é apresentado no Teatro Sesc Centro em Goiânia

– Coldplay Live Experience presta homenagem à banda britânica Goiânia

Bororó já participou de shows e gravações de nomes como Gal Costa, Zeca Baleiro, Elba Ramalho, Alceu Valença, Sivuca, Zeca Pagodinho, Martinho da Vila e grupos de pagode como Fundo de Quintal, Só Pra Contrariar e Katinguelê. E a lista continua: você pode adicionar Simone, Ivete Sangalo, Chico Buarque e Caetano Veloso. “É mais fácil dizer com quem ele não jogou”, brinca Marcelo Safadi, um dos organizadores do evento. “Bororó é um dos maiores nomes da música instrumental brasileira, mas sabemos que muita gente não conhece o som dele nesse segmento”, reitera um dos objetivos do evento.

See also  Como assistir Fortaleza x River Plate ao vivo

A proposta do programa é apresentar o resultado do desmantelamento do que há de novo e inédito acontecendo na música instrumental nacional e local, trazendo desde nomes já consagrados como Bororó até projetos recentes que ainda nem se apresentaram ao vivo Caso do trio Ilu Orin (GO), composto pela percussionista Lene Black, a guitarrista Ingrid Lobo e o multi-instrumentista Emanuel Mastrella. O grupo fará seu primeiro show nesta sexta-feira, abrindo o Festival Goyaz. “Em geral, buscamos uma curadoria para projetos que estivessem em um movimento de criação, produção e criação de vida”, explica a produtora artística Cibele Bahia.

Nos outros dias do festival, projetos goianos dividem o palco do Teatro Goiânia com convidados de outros cantos do país. No sábado, às 20h, se apresentará o Duo Mitre (MG), formado pelas irmãs Luísa Mitre (piano) e Natália Mitre (bateria). “O som tem uma estrutura muito parecida com uma câmara. É uma dupla de projeção nacional que tem participado nos maiores festivais de jazz como o Festival de Montreaux. Ainda na segunda noite, a partir das 21h30, Matheus Guerra Quinteto (GO) traz ao palco as faixas do álbum Reflexo (2019), que reúne elementos musicais vivenciados em diferentes períodos da vida de Matheus, como jazz, rock, música brasileira e ensinou.

A programação de domingo começa com o Quarteto Joana Queiroz (RJ), projeto liderado pela clarinetista, saxofonista e compositora Joana Queiroz, que já dividiu os palcos com Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, Arrigo Barnabé e Gilberto Gil. “É um quarteto inédito montado especialmente para o festival. A Joana pintou as melhores canções originais que tinha nas mãos, o que inclui experiências muito interessantes”, comenta o produtor artístico.

Ao final do Festival Goyaz, o palco do Teatro Goiânia receberá uma homenagem ao trompetista goiano Manassés Aragão, que morreu no ano passado vítima da Covid-19. “Fred Valle e seus amigos vão tocar em memória desse expoente da cena goiana. Quem representa o trompete está Moisés Alves, um músico muito criativo e com muito suingue, assim como Manassés”, diz Cibele. O espetáculo Manassés Aragão de Seus Amigos começa às 20h30.

See also  Câmara Municipal de Santos discorda de Bolsonaro sobre aumento de 50% na taxa de ocupação de imóveis na zona da Marinha | Santos e arredores

Leave a Comment

x