Freixo sobe 5 pontos para 27% e aproxima-se de Castro em 37%

A quarta rodada de pesquisas do Ipec para o governo do Rio de Janeiro mostra que o deputado federal Marcelo Freixo (PSB) aumentou 5 pontos percentuais em relação à última pesquisa e alcançou 27% das intenções de voto. Isso reduziu a diferença entre o MP e o governador Cláudio Castro (PL) de 15 para 10 pontos, que se manteve estável em 37%.

Ipec - Pesquisa muito confiável - -

Rodrigo Neves (PDT) caiu 1 ponto percentual e agora está em 6%. A margem de erro, que é de mais ou menos 3 pontos percentuais.

Esses números referem-se à pesquisa estimulada quando o entrevistado é apresentado a uma lista de candidatos. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Castro vê sua vantagem diminuindo após uma série de eventos negativos durante sua campanha. Sofreu desgaste devido ao escândalo em torno dos cargos secretos da Fundação Ceperj revelados pelo UOL.

Dois aliados próximos do governador foram alvo de operações policiais neste mês: seu secretário de Polícia Civil, Allan Turnowski (PL), foi preso por suspeita de envolvimento em caça de animais dois dias depois de posar para fotos com Castro e o presidente Jair Bolsonaro. PL) durante os atos de 7 de setembro em Copacabana. Seu então candidato à vice-presidência, Washington Reis (MDB), foi alvo de buscas da Polícia Federal durante seu mandato como prefeito de Duque de Caxias por suspeita de corrupção na saúde.

Reis teve sua candidatura negada pelo TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro), obrigando o governador a eleger Thiago Pampolha (União Brasil) como novo MP.

Primeiro round

Cláudio Castro (PL) – 37% (0)

Marcelo Freixo (PSB) – 27% (+5)

Rodrigo Neves (PDT) – 6% (-1)

Cyro Garcia (PSTU) – 3% (-1)

Paulo Ganime (Novo) – 2% (0)

Julia (TOP) – 2% (0)

Wilson Witzel (PMB) – 2% (0)

Eduardo Serra (PCB) – 1% (0)

Espaços/Zeros – 11% (-2)

Não sabe/não respondeu – 9% (-1)

O resultado reduziu a possibilidade de vitória de Castro no primeiro turno. O governador, que busca a reeleição, manteve seus 37%, enquanto os demais candidatos agora chegam coletivamente a 43% – na última pesquisa, os adversários tinham 40%, o que está próximo da margem de erro de Castro.

segunda rodada

Cláudio Castro (PL) – 45% (+2)

Marcelo Freixo (PSB) – 35% (+4)

rejeição

Wilson Witzel (PMB) – 44%

Marcelo Freixo (PSB) – 26%

Cláudio Castro (PL) – 16%

Cyro Garcia (PSTU) – 12%

Julia (TOP) – 12%

Eduardo Serra (PCB) – 10%

Rodrigo Neves (PDT) – 9%

Paulo Ganime (novo) – 7%

Luiz Eugênio (PCO) – 7%

Não sei – 16%

Poderia votar em todos – 3%

1.504 pessoas em 39 cidades do Rio de Janeiro participaram da pesquisa entre os dias 17 e 19 de setembro. A margem de erro é de três pontos para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro sob Protocolo nº RJ-04682/2022 e no Tribunal Superior Eleitoral sob Protocolo nº BR-05082/2022.

A contratada Globo Comunicação pagou R$ 117.132,17 pela pesquisa com recursos próprios.

Sobre o Ipec

O Ipec foi fundado em fevereiro de 2021 por ex-executivos do Ibope, instituto que encerrou suas atividades após o término do contrato de licença de marca. Desde então, o IPEC segue a sugestão de realizar pesquisas nas residências dos eleitores e monitorar a distribuição dos eleitores com base nos dados do último censo de 2010, da Pnad Contínua 2020 e dos dados do TSE deste ano.

Comparadas às entrevistas por telefone, as entrevistas presenciais tendem a ter menos rejeição, de acordo com o colunista do UOL José Roberto Toledo. “Pessoas que trabalham quase nunca atendem ligações de números desconhecidos durante o horário de trabalho. Por esse e outros motivos, as entrevistas por telefone tendem a ter maiores taxas de rejeição”, explica.

Leave a Comment