Ilan Goldfajn é eleito presidente do BID

NOVA YORK – O Brasil venceu a eleição presidencial Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID)com sede em Washington, realizada neste domingo, 20 de abril. O país terá a liderança da instituição sob o comando do ex-banco central pela primeira vez na história Ilan Goldfajn🇧🇷 O ministro da Economia já confirmou a eleição. O candidato brasileiro assumirá a presidência do BID por um período de cinco anos em 2022, após uma campanha marcada por disputas políticas internas e eleições antecipadas após um escândalo ético no governo anterior.

O Brasil venceu no primeiro turno, com a maioria dos votos e o apoio de 17 membros regionais e outros nove países fora da região, segundo fontes consultadas estação/transmissão🇧🇷 Esses são os dois critérios exigidos para a vitória.

Coletivamente, os membros que votaram no Brasil detêm 80% do capital social do banco, confirmaram fontes do BID. Para ser eleito, o candidato precisa de mais de 50%. Com a candidatura de Ilan, o Brasil superou facilmente as exigências. Além disso, o Brasil garantiu o apoio de 17 dos 28 países membros “regionais mutuários” e “regionais não mutuários”, grupo que inclui Estados Unidos e Canadá. Também neste aspecto ele se destacou. Um pré-requisito para a portaria é o consenso de pelo menos 15 membros.

Ilan, de 56 anos, foi indicado pelo governo Jair Bolsonaro (PL).🇧🇷 Presidente do BC durante o reinado de Michel Temer (MDB), entre 2016 e 2019, antes disso foi Diretor de Política Econômica da instituição. Ilan também chefiou o departamento comercial do Itaú Unibanco, o maior banco da América Latina, e mais recentemente foi diretor de Fundo Monetário Internacional (FMI) para o Hemisfério Ocidental, de onde se despediu para concorrer à presidência do BID.

Ilan Goldfajn, candidato do Brasil ao BID
Ilan Goldfajn, candidato do Brasil ao BID Foto: Marcelo Pereira/Credit Suisse

A campanha por seu nome passou por altos e baixos. Durante o processo, uma ala do Partido dos Trabalhadores (PT) agiu para “queimar o filme” de Ilan, que acabou ameaçando a candidatura do Brasil. Numa articulação envolvendo o ex-ministro das Finanças guido mantega aos antigos BCs Luiz Awazu Pereira da Silva e Alexandre TombiniTentativas foram feitas no exterior para adiar as eleições e ganhar tempo para nomear um nome mais partidário com a eleição do presidente em vista da iminente mudança de governo no Brasil Luiz Inácio Lula da Silva🇧🇷

No entanto, os membros do BID ignoraram o movimento e continuaram as eleições para eleger um presidente. Com a continuidade do processo, a campanha de Ilan foi intensificada, visando superar as façanhas de uma ala do PT e conquistar a inédita presidência da entidade.

Continua após o anúncio

A saída da Argentina da candidatura à liderança do BID encorajou o governo brasileiro, o estação/transmissão🇧🇷 Na sexta-feira o Ministro da Economia Paulo Guedesresponsável pela seleção e indicação de Ilan, já havia sinalizado grandes oportunidades para o Brasil ao declarar que o candidato seria eleito neste domingo, o que se confirmou.

Na eleição anterior de setembro de 2020, o Brasil desistiu de indicar um candidato para apoiar os Estados Unidos, violando a prática de não concorrer à presidência da instituição durante o mandato donald trump em frente à Casa Branca. Naquela época, ele marcou o nome de Mauricio Claver-Caroneque foi demitido após um escândalo ético e novas eleições foram convocadas dois anos depois.

O BID foi fundado em 1959 por países latino-americanos liderados pelo Brasil durante o governo de Juscelino Kubitschek. O objetivo era dar mais espaço à região e às suas necessidades de financiamento e desenvolvimento, já que organizações como o FMI e o Banco Mundial sempre foram tradicionalmente lideradas pelos Estados Unidos e países europeus.

Leave a Comment