Juliano Cazarré realizou um batismo de emergência após o nascimento de sua filha

O ator Juliano Cazarré, Alcides do ‘Pantanal’ e sua esposa Letícia participaram do programa ‘Fantástico’ de hoje (TV Globo) e deram mais detalhes sobre a doença da filha recém-nascida Maria Guilhermina, que tem a anomalia de Ebstein, uma doença cardíaca rara.

Cazarré, um católico, disse que batizou sua filha na sala de cirurgia logo depois que ela nasceu, pois não tinha certeza se ela sobreviveria.

“Eu tinha pedido para deixar um copo d’água ali porque se o bebê nascer em perigo mortal, ele pode fazer esse batismo de emergência. Foi um momento de muita emoção. Eu tinha esperanças, mas não sabia”, disse ele ao jornal. ator na entrevista.

O intérprete de Alcides disse ainda que duas horas após o seu nascimento, Maria Guilhermina teve de passar por uma operação que durou mais de 10 horas e passou 25 dias num berço nos cuidados intensivos.

A criança nasceu em 21 de junho e nasceu 1 mês antes do esperado.

De acordo com o que o casal contou ao “Fantástico”, eles souberam da doença mais cedo, mas só no final da gravidez souberam que ela poderia não sobreviver. Quando a doença foi descoberta, Juliano estava no Pantanal gravando a novela das 21h.

“Fiquei 3 semanas no Pantanal com a Letícia que me deu algo notícia Todos os dias. Então eu disse: ‘Minha esposa precisa de mim, eu tenho que voltar'”, disse o ator.

Leticia disse que começou a pesquisar vários artigos sobre a condição por conta própria até descobrir uma operação que resolveu o problema e entrou em contato com os médicos por e-mail e iniciou os procedimentos necessários.

O nascimento de Maria Guilherme teve que ser antecipado em 1 mês devido à evolução do quadro. Cazarré também disse que recebeu muito apoio na rua. “As pessoas me param para falar sobre eles.”

Em um post em seu Instagram, o ator também disse que teve que passar por outra cirurgia na noite passada, mas que está tudo bem.

“Maria Guilhermina teve complicações ontem e teve que fazer uma cirurgia de emergência esta manhã. A operação foi bem sucedida, graças a Deus e à equipa da Beneficência Portuguesa, em especial ao Dr. Rodrigo Freire. A Guilhermina está bem, sedada e os testes iniciais são muito positivos”, escreveu o ator.

A anomalia de Ebstein é uma cardiopatia congênita (se a criança nascer com o problema) que afeta a válvula tricúspide, responsável por separar o átrio direito do ventrículo direito.

Relatório médico

Os médicos José Pedro da Silva e Luciana Silva, brasileiros que trabalham na Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, foram encontrados por Letícia após pesquisar artigos científicos.

O cirurgião cardíaco explicou que a doença afeta de 1 a 2% dos defeitos cardíacos congênitos: “Há 29 anos tive essa ideia de pegar os tecidos anormais e imobilizá-los e depois recolhê-los em uma válvula com a fórmula de um cone. O cone abre ele mesmo, ele deixa o sangue fluir através desta válvula. Ou seja, é um mecanismo de válvula perfeito”, explicou Pedro da Silva – ele desenvolveu uma técnica capaz de reverter o problema no coração.

Para finalizar, explicou que Maria Guilhermina ainda tem que esperar alguns meses pela cirurgia que pode resolver definitivamente o problema, mas já é considerada um milagre da medicina. “Alguns casos são tão graves que a criança morre na vida fetal, não no nascimento.”

Além de Maria Guilhermina, Juliano e Letícia são pais de Vicente, 11 anos; Inácio, 9; Gaspar, 2 e Maria Madalena, um ano.

Leave a Comment