Ministério Público dá 48 horas à polícia para explicar a morte no carro

O MPF (Ministério Público Estadual) de Sergipe informou que abriu procedimento para acompanhar a investigação dos fatos que levaram à morte de um homem de 38 anos em uma viatura da PRF (Polícia Rodoviária Federal) em Umbaúba (101 km de Aracaju).

Segundo boletim do IML (Instituto Médico Legal), Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, sofria de insuficiência respiratória aguda por asfixia mecânica, segundo o ministro da Segurança Pública.

Vídeo feito por moradores mostra o homem, que ainda está vivo, trancado na traseira de um carro onde a polícia detonou bombas de gás. O documento é assinado pelo procurador Flávio Pereira da Costa Matias, coordenador de controle de policiamento externo do MPF no estado, que deu 48 horas para as polícias rodoviárias civil, federal e federal cumprirem as exigências do órgão nesta manhã.

Em nota, o órgão disse que solicitou informações à Delegacia de Polícia Civil de Umbaúba e pediu à Polícia Federal que abrisse um inquérito ou informasse o número do inquérito que foi aberto para apurar o caso.

O MPF também informou que havia solicitado à PRF informações sobre o procedimento administrativo instaurado para apurar as ações policiais.
No boletim de ocorrência, os agentes envolvidos na ação admitiram o uso de gás, mas afirmaram que a morte não teve relação com a abordagem. A polícia disse que Santos morreu “possivelmente de uma doença súbita”.

“Em todas as circunstâncias, diante dos crimes de desobediência e resistência, após o uso lícito do uso diferenciado da força, houve uma morte sem relação com a ação policial legítima”, disse a equipe da PRF em boletim divulgado pela polícia que é a Folha de S.Paulo.

See also  RESULTADO Colômbia vs. Venezuela pelas Eliminatórias Catar 2022 América do Sul | Quem venceu o jogo de hoje Colômbia vs. Venezuela | Golo de James Rodríguez hoje | VÍDEO | ESPORTE-TOTAL

A SSP (Secretaria de Estado da Segurança Pública) de Sergipe informou que Santos chegou ao IML por volta das 18h20, já morto. Em nota, o instituto também informou que a asfixia mecânica ocorre devido à obstrução do ar nos pulmões causada por um agente externo.

A SSP informou ainda que a Polícia Civil de Sergipe já havia começado a depor da família da vítima, além das demais testemunhas. Assim que o trabalho estiver concluído, os laudos médicos serão encaminhados à Polícia Federal, acrescentou a agência.
A OAB de Sergipe (Ordem dos Advogados do Brasil) disse no Instagram que acompanhará os desdobramentos da investigação do incidente pela Comissão de Direitos Humanos da empresa.

A OAB informou ainda que solicitará com urgência uma reunião com a Corregedoria da PRF. “Também nos colocamos à disposição das famílias das vítimas para prestar qualquer assistência necessária”, disse o comunicado da organização.
Em protesto, manifestantes bloquearam a BR-101 na manhã desta quinta-feira (26).

Os agentes da PRF envolvidos na ação afirmaram no boletim de ocorrência que a morte não teve relação com a abordagem. A vítima, Genivaldo de Jesus Santos, morreu após ser presa em um veículo abastecido com gasolina. “Em todas as circunstâncias, em face dos crimes de desobediência e resistência, após o uso diferenciado da força ter sido legalmente utilizado, houve uma morte não relacionada à ação policial legítima”, disse a equipe da PRF em boletim divulgado pela polícia que é a Folha de S.Paulo.

Os agentes da PRF também informam no boletim que Santos morreu “possivelmente por doença súbita”. (folha imprensa)

Leave a Comment

x