Monique Medeiros é denunciada por “ato libidinoso” como advogada na cadeia


Pesquisa



Presa pela morte do filho, Henry Borel, Monique foi denunciada por outras mulheres que a dividiram com ela




03/05/2022 13:46:51

min. de ler














A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap-RJ) abriu procedimento para apurar denúncias de que Monique Medeiros, presa pela morte do filho, Henrique Borel, cometeu “atos libidinosos” com um advogado da cadeia. Monique está no Instituto Oscar Stevenson, no presídio de Benfica, na Zona Norte do Rio.

Imagem ilustrativa da imagem Monique Medeiros é denunciada por "ato libidinoso" com advogado na cadeia


Monique Medeiros, presa pela morte do filho, Henry Borel

Foto: Brunno Dantas/TJ-RJ


A denúncia foi feita por seis detentas que a dividiram com Monique, todas presas por outros crimes de grande repercussão.

Segundo a reportagem do G1, uma das mulheres que narra ou suposto ato entre Monique e um advogado e Elaine Lessa, a policial reformada Ronnie Lessa, presa por tráfico internacional de armas. Outra prisioneira é Fernanda de Almeida, a “Fernanda Bumbum”, acusada de tramar a morte de uma rival de procedimentos estéticos.

Não contra Fernanda, ela afirma que Monique teria usado “roupas inadequadas” durante a visita de um advogado. Ela disse ainda que, segundo Monique, a advogada estava “apaixonada por ela” e faria de tudo para que ela deixasse a rede. Todos os outros cinco titulares confirmarão a versão.

Relataram, ainda, que ouviram da própria Monique, ou de pessoas próximas a ela, que durante uma visita à cadeia onde uma mulher estava presa, dois advogados defenderam que ela se masturbava enquanto exibia seus signos.

See also  Anúncio de Transferência Comercial: ASM Global

Ou ato teria acontecido no parlatório da cadeia, espaço que tem portas e no têm câmeras. Um copo separava o titular do defensor. Nas declarações, o Grupo de mulheres não especifica quando teria ocorrido e nem aquele que estava envolvido ou um defensor.

Segundo ou G1, Monique terá que se reportar à Comissão Técnica de Classificação (CTC) da secretaria e, se for punida, a infração será registrada em seu expediente. Esse registro prejudicial ou índice de comportamento do mesmo, que é utilizado como parâmetro para avaliações no andamento do regime.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ) foi informada.

Saiba quem são as detentas denunciam Monique

Elaine Pereira Figueiredo Lessa – Presa por tráfico internacional de armas, ela é a mulher do PM reformado Ronnie Lessa, acusado de matar a vereadora Marielle Franco e o motociclista Anderson Gomes;

Karina Lepri Franco – Dentista que atuou como amante da milícia por ocasião da morte do marido, diretor da Shell;

Priscila Laranjeira Nunes de Oliveira – Fiduciário do imóvel na Barra da Tijuca que planejou a morte do vizinho junto com o funcionário e amante;

Fernanda Silva de Almeida, para “Fernanda Bumbum” – Presa por planejar morrer como rival em procedimento estético e casada com uma ex-PM, condenada pela chacina da Baixada Fluminense;

Bruna Adrielly Correia Carlos – Presa na Rodovia Presidente Dutra com 750 kg de maconha;

Cintia Gomes de Oliveira – Preso por adulteração do sinal identificador do veículo e corrupção ativa.





Leave a Comment

x