Não acredite em Fake News, diz Guedes sobre vazamentos ou irresponsabilidade fiscal – Notícias

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta terça-feira (22) que o povo brasileiro não deve acreditar em fake news que afirmam que há brecha ou irresponsabilidade fiscal nas contas do atual governo. Com o debate sobre as contas públicas em destaque, é preciso ter uma visão realista, disse.

As declarações foram feitas durante uma coletiva de imprensa sobre o relatório de receitas e despesas do quinto trimestre. Guedes disse que o governo federal registrará seu primeiro superávit desde 2013. Estima-se que as contas acabem no azul em R$ 23,3 bilhões em 2022.

O ministro da Economia também alertou que o diagnóstico incorreto da economia pode levar a decisões ruins do próximo governo.

“O país tem muita dificuldade em lembrar que tudo o que não existe já foi arrombado. Não acredite em falsificações, não acredite em mentiras. O grande problema é seguir a mentira e acreditar na mentira. É assim que você comete grandes erros. Erros são cometidos com base no diagnóstico errado”, disse Guedes.


legado amaldiçoado

O ministro da Economia explicou que o debate sobre a política tributária do país foi contaminado após a vitória eleitoral de Luiz Inácio Lula da Silva. Em sua opinião, “pessoas despreparadas” fizeram análises incorretas.

“Será que tem gente despreparada querendo distorcer a realidade fiscal do país? Como alguém pode ser sério e estar preparado para falar sobre heranças malditas?”, questionou Guedes.

Ele continuou explicando que a posição fiscal de 2023 é relativamente simples para economistas preparados. Ele explicou que, caso o presidente Jair Bolsonaro (PL) fosse reeleito, o Auxílio Brasil de R$ 600 teria fonte permanente de recursos caso a reforma tributária e a tributação dos dividendos fossem aprovadas. Na última quinta-feira (17), a jornalista Célia Froufe revelou esse desenho alternativo do atual time em sua coluna no Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

“Farmácia popular, lanches, tudo cabe em uma PEC relativamente simples e bem formulada”, disse o ministro.

Guedes também agradeceu a Bolsonaro, ao Congresso e ao STF (Supremo Tribunal Federal) pelo apoio na busca de soluções e na construção de caminhos para solucionar diversos problemas e questões ao longo dos últimos anos.


Presidência do BID

O ministro da Economia lembrou que, no passado, o Brasil não teve peso nem influência internacional para indicar um presidente eleito para o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento).

O economista Ilan Goldfajn, ex-presidente do BC (Banco Central), torna-se o primeiro brasileiro a presidir o BID com sede em Washington. A eleição aconteceu no domingo (20).

Ele assumirá a presidência do BID em 2022 por um período de cinco anos após uma campanha eleitoral marcada por disputas políticas internas e eleições antecipadas após um escândalo ético no governo anterior. Conforme mostrou o Broadcast, setores ligados ao PT, partido do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva, chegaram a lutar contra Ilan.

Leave a Comment