Não gostou do Koo? Veja 3 apps caso o Twitter morra

A chegada de Elon Musk ao comando da rede social foi seguida de crises que colocaram em dúvida a sobrevivência do Twitter




Koo, rede social do pássaro amarelo, faz sucesso no Brasil em meio à crise do Twitter (Imagem: Reprodução/Koo)

Koo, rede social do pássaro amarelo, faz sucesso no Brasil em meio à crise do Twitter (Imagem: Reprodução/Koo)

Foto: Canaltech

Dúvidas sobre a sobrevivência do chilro em meio a crises desde a chegada de Elon Musk à frente da empresa, final de outubro, levou os insatisfeitos a buscar alternativas. O que tem chamado a atenção ultimamente é o koo, com um mascote parecido com o do Twitter e pronunciando um palavrão em português. Mas não é o único.

Reconhecendo o movimento dos brasileiros, até o CEO da Koo se pronunciou, afirmando estar satisfeito com a chegada de novos usuários na plataforma e esperava a atualização em português🇧🇷 Os trocadilhos sobre o nome do app também foram de bom humor.

“Somos uma empresa jovem que sabe lidar com piadas. Então vamos continuar com os memes.” byte🇧🇷

No Koo é possível postar até 500 caracteres além de fotos, vídeos, links e enquetes. Também existem hashtags trending, semelhantes aos trending topics do Twitter, que apontam para os assuntos mais comentados do momento. Você pode até agendar postagens, salvar rascunhos e publicar em vários idiomas ao mesmo tempo.

mastodonte

Uma alternativa para quem quer fugir do Musk mas não gostou do Koo é esse mastodonte🇧🇷 A rede foi inspirada no Twitter, mas funciona com uma lógica de feed diferente e não tem publicidade, pelo menos por enquanto.

Em vez de uma série de postagens consecutivas, como no Twitter, o perfil do Mastodon vê vários feeds menores, chamados de comunidades, em sua tela. Essas seções menores são criadas pelos próprios usuários e cada uma funciona como sua própria rede social com diferentes regras de moderação.

Se você criar uma conta, deverá selecionar um desses grupos para se tornar um membro e concordar com as regras de moderação. Porém, a pessoa fica livre para interagir e seguir diferentes perfis de outros seguidores.

palestrante

A palestrante chamou a atenção no início de outubro deste ano por ter sido adquirido por Kanye West, um rapper americano que mudou legalmente seu nome para Ye. O aplicativo, que se autodenomina “a rede social para a liberdade de expressão”, está sendo usado por muitos conservadores graças a regras de moderação de conteúdo mais brandas.

A interface da rede social é semelhante ao Twitter. Há rolagem do feed e o usuário pode ter interações como votar (semelhante a curtir) e ecoar (retweetar) as postagens.

discórdia

Para aqueles que estão abertos a diferentes plataformas, o discórdia pode ser uma boa opção. A grande variedade de ferramentas utilizadas pelos gamers e até mesmo pelo mundo corporativo faz com que essa rede social possa ter diferentes faces e usos dependendo do objetivo.

É possível trocar mensagens de texto, áudio e vídeo, além de criar servidores, criar regras de moderação e reunir várias pessoas em um chat específico sobre temas específicos. Dentro desses servidores, a pessoa pode, por exemplo, segmentar temas e fatores de interesse em diferentes áreas.

Você também pode criar salas de bate-papo ao vivo, por voz ou vídeo e adicionar amigos para conversas individuais. O aplicativo é elogiado por suas conexões de áudio de alta qualidade e se torna o favorito dos jogadores online.

🇧🇷O melhor conteúdo no seu e-mail gratuitamente. Escolha a sua newsletter Terra favorita. Clique aqui!

Leave a Comment