Nova vacina contra herpes zoster chega ao Brasil

O imunizante chamado Shingrix é altamente eficaz e pode ser usado em pessoas com sistema imunológico enfraquecido.

A nova vacina contra herpes zoster, chamada Shingrix, chegou ao Brasil e já está disponível em clínicas particulares de todo o país. O imunizante foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em agosto de 2021.

A doença, também conhecida como herpes zóster, é uma infecção viral causada pela reativação do vírus varicela-zoster (o mesmo vírus que causa a catapora) em pessoas que tiveram catapora em algum momento de suas vidas. Causa bolhas na pele, dor intensa e calafrios.

Shingrix é recomendado para a prevenção de telhas Adultos com mais de 50 anos ou mais velhos e em adultos 18 anos de idade com risco aumentado de desenvolver a doença. Este é o caso de pacientes imunocomprometidos, como B. Pacientes em tratamento de câncer, pacientes vivendo com HIV, lúpus, esclerose múltipla e pacientes submetidos a transplante de órgãos ou medula óssea.

Leia também: Por que a cobertura vacinal está caindo e como reverter esse cenário?

O imunizador deve ser administrado em duas doses com intervalo de dois meses entre as doses. O custo de cada aplicação é de aproximadamente R$ 843 na rede privada. Com as duas latas, o custo total fica em torno de R$ 1.686. No entanto, segundo a farmacêutica GSK, o valor pode variar de acordo com o ICMS de cada região do país e as práticas de precificação das clínicas particulares.

Alta eficácia e proteção para pacientes imunocomprometidos

A principal diferença entre o Shingrix e a vacina Zostavax, imunizador de geração anterior já em uso no Brasil, inclusive na rede privada, é a possibilidade de ser administrado a indivíduos imunocomprometidos.

See also  Sergio Hondjakoff surta e ameaça o pai de morte ao vivo nas redes

Enquanto a vacina anterior da empresa farmacêutica MSD não deve ser usada em pessoas com sistema imunológico debilitado, o Shingrix é uma alternativa para aumentar a imunidade desse grupo.

Além disso, a nova vacina tem mais de 90% de eficácia em pessoas com mais de 50 anos, idade em que o vírus se inicia, têm maior risco de reativação. Na faixa etária de 50 a 69 anos, a eficácia é ainda maior: 97%. Em contraste, Zostavax é apenas 70% eficaz.

Saber mais: Descubra 10 sinais de alerta de imunidade fraca

Outra diferença também é como as vacinas funcionam: Zostavax consiste no vírus da varicela enfraquecido, o que significa que possui varicela zoster viva, mas enfraquecida, que ajuda a ativar o sistema imunológico para proteger o indivíduo da doença.

Shingrix é uma vacina inativada, o que significa que consiste no vírus morto, alterado ou apenas particulado. Esse tipo de vacina tem como objetivo “enganar” o sistema imunológico, que protege o organismo do agente infeccioso mesmo quando ele está morto. Este imunizador está aprovado para uso em países como Austrália, Canadá, China, Cingapura, Estados Unidos, Japão e Nova Zelândia.

O que é herpes zoster?

O cobreiro (CID 10 – B02), ou herpes zoster, é uma infecção viral que pode afetar pessoas que já tiveram catapora em algum momento de suas vidas. Isso ocorre porque o vírus varicela-zoster está alojado nos gânglios e permanece inativo por anos, podendo eventualmente ser reativado e “viajar” ao longo das vias nervosas até a pele, causando bolhas.

Uma das possíveis causas dessa reativação, embora ainda uma hipótese, é a redução da imunidade, pois ocorre com mais frequência após os 60 anos e em pessoas com sistema imunológico debilitado.

See also  onde assistir ao vivo, lineups e desfalques

A erupção típica das telhas pode aparecer em qualquer parte do corpo. Além das lesões, outros sintomas comuns da doença são:

  • problemas gastrointestinais;

  • queimação e picadas nas áreas afetadas pelas erupções cutâneas;

  • Sensibilidade extrema ao toque.

Continue lendo: Herpes zoster (zona): o que é, sintomas e como tratá-lo

Leave a Comment

x