Novo pedido de justiça 30 anos após o ataque à embaixada de Israel na Argentina

Novo pedido de justiça 30 anos após o ataque à embaixada de Israel na Argentina

A Argentina tem a maior comunidade judaica da América Latina, com cerca de 300.000 membros – AFP

Na quinta-feira, 30º aniversário do ataque à embaixada israelense em Buenos Aires, um novo pedido de justiça foi ouvido quando as autoridades israelenses renovaram suas acusações contra o Irã e o grupo xiita Hezbollah.

O ato começou com o gemido de sirenes às 14h45, quando, em 17 de março de 1992, um carro-bomba explodiu o antigo casarão do bairro da Recoleta, que abrigava a sede diplomática e hoje tem uma praça. , local de homenagem.

“Trinta anos esperamos por justiça, e a justiça está atrasada. É quase silencioso, como aquele silêncio exasperado nos segundos após a explosão”, disse o embaixador de Israel na Argentina, Galit Ronen. Ela insistiu na posição de Israel, que desde o início culpou o Irã pelo ataque.

“Sabemos quem é o responsável por este ataque e também pelo que aconteceu em Amia dois anos depois. Seu nome é Hezbollah e seu sobrenome é Irã”, disse o embaixador.

O Vice-Primeiro Ministro e Ministro da Justiça de Israel, Gideon Sa’ar, expressou-se na mesma direção. “Este terrível ataque tem um originador claro. O Irã cometeu este terrível ataque terrorista por meio de seu representante Hezbollah”, disse Sa’ar, exigindo que “eles sejam levados à justiça por seus crimes contra a humanidade”.

O julgamento, que está nas mãos do Supremo Tribunal Federal, por se tratar de um episódio internacional, não resultou em prisões ou processos e está praticamente paralisado. Em 2006 foi declarado sem receita médica.

“Três décadas se passaram e essa contagem dolorosa ainda está por vir”, lamentou o ministro argentino Martín Soria, falando em nome do governo de Alberto Fernández sobre o ataque que deixou 29 mortos e 200 feridos.

Soria destacou que “Lembrança, verdade e justiça são os pilares que devem nos guiar em cada evento desviante como o que lembramos hoje. Infelizmente, não podemos dizer que a verdade foi alcançada, muito menos que a justiça foi feita”.

Dois anos após o ataque à embaixada israelense, outro ataque em Buenos Aires explodiu a sede de Amia. “Em ambos os casos, infelizmente, o denominador comum é a falta de progresso nos processos judiciais, levando a uma dolorosa impunidade”, disse Soria.

Com cerca de 300.000 membros, a Argentina tem a maior comunidade judaica da América Latina.




Saber mais

+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comia carne. Confira o resultado

+ O que acontece no cérebro quando morremos? Os cientistas já têm uma resposta

+ Vídeo engraçado: dono impede gato de entrar no banheiro e gatinho se vinga

+ Filha do cantor Leonardo exibe bumbum enorme ao posar de biquíni em praia do Ceará

+ A “pedra da morte” do Japão quebra após quase mil anos
+ Homem incendeia usuário de drogas em Belo Horizonte

+ Veja quais carros foram roubados com mais frequência em SP

+ Após mulher dizer que Gusttavo Lima é pai da filha, ela pode ser processada
+ Horóscopo: Confira a previsão de hoje para o seu signo do zodíaco

+ Omicron: sintoma inesperado de infecção em crianças preocupa equipes médicas

+ Vendedores do Mercadão de SP ameaçam clientes com fraude de frutas

+ O truque de espremer limões está viralizando nas redes sociais

+ Expedição identifica lula gigante responsável pelo naufrágio de 2011
+ Autoridades dos EUA alertam: nunca lave carne de frango crua


See also  Jornal alemão contrata jornalista que invadiu telejornal russo em protesto contra a guerra | guerra na ucrânia

Leave a Comment

x