Os professores avaliam o conteúdo das provas do segundo domingo do Enem 2022

Postado em 20/11/2022 22h04 / Atualizado em 20/11/2022 23h10

    (Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)


(Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Para muitos alunos, este domingo (20/11) marcou o encerramento de um semestre com a realização do segundo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Depois de resolvidas as provas matemáticas e científicas, cabe agora analisar as questões e apontar quais tópicos eram esperados na prova e quais temas surpreenderam quando apareceram.

Para Juliana Gaspar, professora de química da rede Sigma, as questões de química foram mais difíceis do que nos outros anos, embora as matérias e tópicos esperados caíssem no exame. “Questões muito interessantes, mas muito “conteúdas”, de modo que às vezes o aluno não só conseguia interpretar gráficos, como tinha mesmo que ter um conhecimento prévio do conteúdo”, explica.


Juliana explica que os temas que sempre aparecem na prova, como radioatividade, propriedades dos compostos orgânicos e cinética, ainda aparecem na prova, mas a professora também aponta que errou nas questões de termoquímica na prova.

Alessandro Reis, professor de biologia da Sigma, conta que a prova de biologia teve 19 questões do livro de ciências, o que já era esperado e, apesar de algumas surpresas, continuou com conteúdos que já eram recorrentes nas provas.

Ele explica que os problemas interdisciplinares com a química são generalizados, assim como os programas de saúde, a fisiologia humana e a evolução. No entanto, o número de perguntas sobre ecologia diminuiu em 2022. As disciplinas zoologia e botânica ficaram de fora da prova e costumam aparecer em algumas questões, disse o professor.

Ele também acredita que uma das maiores dificuldades nas disciplinas da disciplina diz respeito à genética. “Os alunos eram obrigados a ter um certo nível de conhecimento, então nem todo candidato estava qualificado para avaliar essa parte específica da genética”, pondera.

A prova de matemática foi mais difícil?

O professor de matemática da Rede Sigma, Paulo Luiz, explicou que a prova de disciplinas – composta por 45 questões – foi equilibrada e atendeu às expectativas. “Havia perguntas muito fáceis, mas também havia algumas perguntas que eram um pouco mais difíceis do que o normal.”

Ele diz que na parte de matemática do exame, a falta de questões de logaritmo foi surpreendente porque apareceu em anos anteriores. O contrário aconteceu com o tema geometria espacial baseada em projeções e octógonos, que normalmente tinha uma ou duas questões e este ano teve cinco, algumas com complexidade de visualização segundo o professor Paulo.

As questões de combinatória também chamaram muita atenção porque a dificuldade de resolvê-las era maior. “Alguns alunos podem ter achado (o teste) um pouco mais complicado porque ficam presos em questões difíceis e gastam muito tempo com elas”, explica ele.

Além disso, ele observou que alguns textos de prova são bastante confusos e permitem mais de uma interpretação, o que pode ter influenciado a percepção dos alunos de que a prova de 2022 foi mais difícil.

No geral, no segundo dia de prova, Juliana destaca que percebeu que havia muitos distratores. “Eles eram muito fortes, então se o aluno realmente não prestasse atenção, poderia marcar o elemento errado, e aí ele tinha que estar muito atento nessa prova para marcar o elemento certo”, apontou o professor.

Cobertura do Correio Braziliense

Quer ficar por dentro das notícias mais importantes do Brasil e do mundo? Siga-o correio brasileiro nas redes sociais. nós estamos em chilro, no Facebook, Instagram, TikTok e YouTube. Consequências!

Boletim de Notícias

Assine a newsletter correio brasileiro🇧🇷 E fique bem informado sobre as notícias mais importantes do dia logo pela manhã. Clique aqui.

Leave a Comment