Rússia x Ucrânia: imigrantes russos e ucranianos montam acampamento em Tijuana após o conflito


O porto fronteiriço de San Ysidro em Tijuana, na fronteira com os Estados Unidos, tornou-se um campo de refugiados russo e ucranianoa que aderiram alguns bielorrussos, foi verificado esta quarta-feira, numa visita à zona.

Os imigrantes chegaram ao México fugindo do conflito Rússia-Ucrânia que começou em 24 de fevereiro.

As autoridades da Alfândega e Proteção de Fronteiras dos Estados Unidos (CBP) negaram a entrada de pedidos de asilo, especialmente os da Rússia e da Bielorrússia, sob o argumento do Título 42 de que, por razões de saúde pública, permite que os requerentes de asilo sejam expulsos ou simplesmente não permitidos para entrar em solo americano.

Neste dia nas proximidades do porto fronteiriço foi possível observar um grupo de aproximadamente 20 pessoas, metade delas menores, que se prostravam em uma espécie de acampamento com seus pertences no chão, esperavam para saber se poderiam entrar nos EUA.

Segundo relatos de vizinhos, a maioria das pessoas tem pelo menos mais de 24 horas no local. Um migrante, que se identificou como Antonio para manter sua identidade, contou que chegou a Tijuana há dois dias, nos mesmos dias em que esteve no campo depois de deixar sua cidade natal, São Petersburgo.

Ele também lamentou que eles estejam sendo impedidos de solicitar asilo nos EUA porque ele diz que é um “perseguidos politicamente”porque fugiu devido à pressão que o Governo russo está a exercer sobre a população, obrigando-a a não emitir qualquer comentário ou posição política sobre a guerra.

O migrante, que deixou a Rússia junto com sua esposa, reconheceu que “é muito perigoso estar lá (no seu país)” porque estava participando dos protestos e manifestações contra a guerra e recebeu avisos de que a polícia local o procurava, então decidiu sair diante da censura e repressão federal que ocorre em seu país.

O delegado do governo mexicano no estado de Baja California, Alexandre Ruiz Uribeinformou que no caso do povo ucraniano “o processo de asilo humanitário é praticamente um passe direto para os Estados Unidos”no entanto, confirmou que no caso dos russos a situação é muito diferente, já que eles “estão sendo impedidos de entrar”.

Sobre esse problema, a governadora da Baixa Califórnia, Marina del Pilar Ávila, destacou que seu governo está aberto “para receber aqueles que fugiram da guerra, particularmente as famílias que vêm da Rússia e da Ucrânia”que receberam abrigos na cidade de Tijuana.

Sublinhou que são poucos os que têm exigido estes espaços porque vêm com recursos próprios e optaram por ficar em hotéis e aqueles que não conseguiram atravessar para os Estados Unidos foram convidados a ir aos abrigos.

Segundo dados do governo mexicano, nas últimas três semanas, a cidade fronteiriça de Tijuana aproximadamente 310 pessoas chegaram da Rússia, Ucrânia e Bielorrússiaa maioria por via aérea e terrestre das cidades de Cancun e Cidade do México.

FM

Tópicos

Leia também

Leave a Comment