Sinergia entre torcida, equipe e diretoria marca resgate do Cruzeiro

Se o Cruzeiro irá longe na Copa do Brasil ou terá acesso à Série A do Brasileirão é muito cedo para dizer. No entanto, os jogos contra Grêmio e Remo mostram algo que basicamente não aconteceu nos últimos três anos: sinergia entre direção, comissão técnica e torcedores. Nos dois duelos, o torcedor do céu enfrentou o fantasma do 12º jogador e o time retaliou entrando no G4 da Segundana pela primeira vez em três edições e retornando às oitavas de final da fase eliminatória após dois anos.

Desde que Ronaldo chegou ao clube, o torcedor comprou a ideia. Prova disso são os últimos 50.000 membros ativos alcançados. Contra o Grêmio, o Cruzeiro colocou 21.831 associados pagantes no Independência. O lucro do clube com o jogo foi de R$ 324 mil. O público foi maior contra o Remo: 22.158 pagaram e arrecadaram R$ 301 mil – valores expressivos, principalmente neste momento de crise financeira que o clube está passando. A mobilização só não foi maior porque o Mineirão não estava disponível para os jogos devido à programação musical do estádio.

Quantidade “pezolanizada”

Ao contrário dos seis treinadores anteriores, Paulo Pezzolano não vive momentos de pressão há quatro meses e vem conquistando atuações inéditas desde o rebaixamento para a Série B, como colocar o time no G4 e lutar pela sobrevivência na Copa do Brasil. O uruguaio, no comando da Raposa, tem 24 jogos, 16 vitórias, dois empates e seis derrotas.

O apoio do treinador nos jogos e nas redes sociais foi constantemente demonstrado. A torcida, carinhosamente apelidada de “Papa Pezzo”, também brinca sobre ser “pezzolanizada” – uma dica de que foi contagiada pelo trabalho do treinador.

Nas redes sociais, é comum ver mensagens brincalhonas de torcedores pedindo a Pezzolano que não deixe o Cruzeiro em caso de propostas.

See also  AO VIVO: eliminatória de Alexis Rocha vs. Blair Cobbs do Galen Center da USC em Los Angeles

novos guias

Com um elenco composto em sua maioria por novatos e jovens, o Cruzeiro aos poucos começa a formar novos líderes. Como artilheiro do time com 13 gols em 18 jogos, Edu é a principal referência do time neste ano. Contra o Remo, o jogador teve dificuldades durante o jogo, perdeu alguns gols, e apesar disso, nesses momentos teve apoio das arquibancadas, até que aos 30 minutos do segundo tempo marcou o gol que decidiu a disputa de pênaltis.

Rafael Cabral começa sua história no Cruzeiro sem o espírito do ídolo Fábio, defendendo os quatro chutes que levaram o time às oitavas de final. Por muitos momentos as comparações foram constantes mas o jogador soube conduzir bem o processo e ontem foi aplaudido no Independência.

Além deles, atletas como Eduardo Brock, Willian Oliveira e Zé Ivaldo já tiveram um lugar significativo na equipe sob o comando de Pezzolano, o que os credencia como líderes em campo.

Leave a Comment

x