um influenciador russo, a primeira vítima da lei de “notícias falsas” de Vladimir Putin

Veronika Belotserkovskaya acusada pelo Kremlin de espalhar notícias falsas por defender a Ucrânia na guerra

Instagram

MOSCOU.- Investigadores russos começaram nesta quarta-feira a os primeiros casos criminais sob uma nova lei contra a divulgação de “informação falsa” sobre a operação militar da Rússia na Ucrânia.

A lei, que foi assinada pelo presidente russo Vladimir Putin em 4 de março, Penas de até 15 anos de prisão para quem publicar “informações conscientemente falsas” sobre os militares russosque alarmou os opositores do Kremlin e a mídia independente que são incapazes de contar os acontecimentos da guerra.

Três pessoas foram inicialmente acusadas de postar “mentiras” em fóruns de mensagens online ou mídias sociais, a comissão de investigações criminais informou em seu site.

O serviço secreto do FSB vasculhou as casas dos acusados ​​e impôs restrições aos seus movimentos.

Descobrir que fui o primeiro a ser acusado foi engraçado e chocante ao mesmo tempo. Eu brinquei que fui oficialmente declarado uma pessoa decente“, disse Veronika Belotserkovskayauma das suspeitas das autoridades russas, em reação ao anúncio de quarta-feira em um post para seus 900.000 seguidores no Instagram.

Os pesquisadores disseram que Belotserkovskaya, 51, natural de Odessaestava sediado no exterior e que solicitariam um mandado de prisão internacional depois de acusá-la de compartilhar informações falsas no Instagram.

Sou exatamente o tipo de pessoa que Putin tinha em mente quando fez seu discurso ontem à noite. Ele quer enquadrar pessoas como eu como traidoras, a quinta coluna”, disse ela de sua casa no sul da França, onde se sente segura para falar sobre a Rússia, citada pelo jornal britânico O guardião.

Belotserkovskaya se estabeleceu naquele país durante a pandemia. Ela trabalha como diretora de uma escola de culinária de luxo. Ela não tem planos de retornar à Rússia enquanto ainda estiver sendo acusada pelas autoridades.

“Eu levo uma vida boa, posto fotos legais na internet sobre comida. Agora eles querem me apresentar como o rosto do ‘Ocidente decadente’”, indicou em referência ao discurso de Putin em que disse que o conflito permite “purificar” a sociedade russa de “traidores”.

“Não sou uma pessoa política, falo como mãe de três filhos. Crianças ucranianas estão morrendo, não é possível ficar calado”, disse Belotserkovskaya, segundo o jornal britânico. “Muitos dos meus amigos na Rússia concordam comigo, mas têm medo de dizer qualquer coisa. Eu entendo perfeitamente”.

Marina Novikova, 63, é outro dos acusados ​​de “desinformar” sobre as ações militares das forças russas na Ucrânia. Ao contrário de Belotserkovskaya, a aposentada de uma pequena cidade industrial nos arredores de Tomsk tem apenas 170 assinantes em seu canal Telegram, informou Guardião. A terceira pessoa não foi identificada.

Leave a Comment